20.5 C
Brasília
terça-feira, 5 março, 2024

Feminicídios no Paraguai são responsáveis por 12 fatalidades em junho

Assunção, 3 Jul (Prensa Latina) Feminicídios no Paraguai contabilizaram 12 vidas no primeiro semestre do ano, de acordo com uma fonte do Observatório da Mulher.
Fontes da entidade, que está ligada ao Ministério de Assuntos da Mulher, também relatam os assassinatos de duas mulheres paraguaias na Argentina e uma no Brasil, e nove possíveis vítimas foram agrupadas.

De acordo com as estatísticas, a dúzia de mulheres que morreram deixou 20 crianças menores de idade órfãs, e o tempo médio de ocorrência dos crimes foi de 13,2 dias.

O Observatório da Mulher informou que um total de nove mulheres morreram em fevereiro, março e junho, enquanto duas morreram em janeiro e uma em maio.

No primeiro semestre do ano passado, um total de 23 mulheres caiu devido ao crime horrendo, de acordo com informações coletadas pela mídia nacional.

Há três anos, um total de 53 mulheres foram mortas, em 2018, 59, e em 2019, 37, de acordo com o Ministério da Mulher.

21,3% das pessoas que morreram por esta causa tinham menos de 20 anos de idade

Informações do Palácio Legislativo indicaram que em dezembro de 2016, o Poder Legislativo da República do Paraguai promulgou a Lei 5777/16, sobre a proteção integral da mulher contra todas as formas de violência, que entrou em vigor em 29 de dezembro de 2017.

Seu objetivo é estabelecer políticas e estratégias para a prevenção da violência, assim como mecanismos de cuidado e medidas de proteção, punição e reparação abrangente.

A legislação incorporou o feminicídio como uma forma de violência e criminalizou-o no artigo 50 com uma pena de prisão de 10 a 30 anos.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS