14.5 C
Brasília
terça-feira, 11 junho, 2024

Feito sem precedentes no setor da habitação desde a independência: 1,5 milhões de casas em quatro anos

Por Mohamed Mendaci

EL MOUDJAHID – O ministro da Habitação, do Urbanismo e da Cidade revelou, durante esta reunião, a distribuição “recorde”, entre 2020 e 2024, de quase 1,5 milhões de habitações, todas as opções combinadas.

Feito histórico e inédito do setor habitacional nos últimos quatro anos: quase 1,5 milhão de moradias foram construídas em menos de cinco anos. Este desempenho incrível reflete claramente o desejo do Presidente da República de proporcionar um teto digno a todas as famílias argelinas necessitadas. Este desafio foi escrito a preto e branco nos 54 compromissos do Presidente Tebboune. “De 2020 até 5 de julho, teremos distribuído quase 1,5 milhões de unidades habitacionais, alcançando assim um recorde sem precedentes na história da Argélia independente”, saudou o ministro da Habitação, Tarek Belaribi, assegurando que o Presidente da República “faz sempre. certeza” de dar “toda a atenção” aos cidadãos, garantindo habitação de diferentes fórmulas. Estas conquistas são, de resto, motivo de orgulho manifestado pelo Presidente da República, uma vez que estas unidades habitacionais foram construídas com materiais locais.

Mais um feito que reflete o empenho do poder público em promover a produção nacional e reivindicar a autossuficiência. Em cada uma das suas reuniões com os meios de comunicação nacionais, Tebboune reiterou o seu firme compromisso com os projetos habitacionais, sublinhando que continuam a ser uma prioridade absoluta no seu programa e, como resultado, beneficiarão de envelopes financeiros substanciais.

313 bilhões de DA para a construção de 460.000 unidades habitacionais

“O ano em curso, continuou, não é igual aos anteriores em termos de créditos atribuídos ao sector da habitação, estimados em 313 bilhões de DA para a construção de 460 mil fogos habitacionais”, acrescentou, lembrando o projeto de criação integrada. cidades, como a cidade de 13.300 unidades habitacionais em Sidi Abdellah, um centro integrado equipado com todas as estruturas e comodidades com planejamento urbano e desenvolvimento exterior de espaços, e afirmando que os projetos atuais estão sendo realizados de acordo com uma nova abordagem de planejamento urbano e uma visão científica que levará em conta a nova versão da RPA.

No final desta reunião, Belaribi anunciou que as obras de construção do estádio Chahid Ali-Ammar, em Douéra, estarão concluídas no final do próximo mês de junho. Além disso, a Argélia, que enfrenta 18 tipos de grandes riscos, liderados por terramotos, inundações e riscos climáticos extremos, dedica uma média anual de 32 bilhões de dinares para cuidar das consequências das catástrofes naturais, indicou ontem em Argel, o delegado nacional para as grandes catástrofes naturais. riscos, Hamid Afra. Falando durante um dia de informação sobre a redução do risco sísmico, o Sr. Afra especificou que a média anual em termos de despesas do Estado é de 32 bilhões de dinares e que as inundações representam, por si só, cerca de 70% das despesas. A este respeito, referiu que as inundações custaram à Argélia, nos últimos quatro anos, 70 mil milhões de dinares em perdas materiais e 25 mil milhões de dinares em incêndios florestais que também causaram, disse, 198 mortes e destruíram 212 mil hectares de cobertura vegetal.

Um novo regulamento sobre terremotos na Argélia (PRA)

Insistindo na importância capital de prevenir grandes riscos para evitar as graves consequências económicas da ocorrência destes desastres naturais, o Sr. Afra estimou que o facto de “investir 1 dólar em prevenção permite poupar até 15 dólares em intervenção, o que é muito rentável.

Depois de discutir o quadro regulamentar para a redução dos riscos sísmicos, atualizado pela recente publicação do Regulamento Sísmico Argelino (RPA), o responsável observou que a Argélia tem uma infinidade de organizações e instituições de prevenção, alerta e observação de grandes riscos. A nova versão do RPA foi desenvolvida com o contributo de uma equipa técnica especializada, composta por mais de 60 académicos, investigadores, técnicos e especialistas nacionais estabelecidos na Argélia e no estrangeiro.

Subordinada ao Ministério do Interior, Autarquias Locais e Planeamento Regional, a Delegação Nacional para os Grandes Riscos (DNRM) é responsável pela coordenação e avaliação das ações realizadas no âmbito do sistema nacional de prevenção e gestão pelas diversas instituições envolvidas. Como tal, é responsável pelo desenvolvimento de uma base de dados baseada na informação recolhida ao nível das administrações interessadas, trabalhando ao mesmo tempo na promoção de informação ligada à prevenção de grandes riscos em benefício dos stakeholders e da população. A delegação intervém também na avaliação e coordenação das ações realizadas no âmbito do sistema nacional de prevenção dos grandes riscos, apresenta propostas com vista a melhorar a sua eficácia e participa em programas de cooperação regional e internacional relacionados com as suas missões.

Organizado pelo Ministério da Habitação, Urbanismo e Cidade, este encontro ficou marcado por um conjunto de intervenções científicas e técnicas sobre medidas regulatórias na construção, com vista à redução dos riscos sísmicos, bem como sobre o papel das organizações reportando ao Ministério da Habitação nesta área, além do histórico de atividade sísmica no Norte da Argélia.

Mohamed Mendaci

ÚLTIMAS NOTÍCIAS