27.5 C
Brasília
sábado, 20 abril, 2024

Ex-presidente peruano pedirá apoio dos EUA para sair da prisão

Lima, 23 fev (Prensa Latina) Os advogados do ex-presidente peruano Alejandro Toledo se preparam nesta sexta-feira (23) para solicitar apoio do governo dos Estados Unidos para a saída de seu cliente da prisão, negada pela justiça.

Os advogados de defesa Brandon Mori e Paolo Aldea anunciaram que enviarão uma carta à embaixada dos Estados Unidos no país para que o país norte-americano, que entregou Toledo para julgamento, exija a justiça peruana por uma suposta violação dos direitos humanos do homem que governou o Peru entre 2001 e 2006.

O pedido propõe que Washington interceda para que a justiça reconhecer o tempo que Toledo passou na prisão nos Estados Unidos até sua extradição, como confinamento por conta da prisão preventiva de 18 meses que foi aplicada pelo tribunal que o julgou e que terminou ontem, de acordo com os advogados.

A justiça peruana rejeitou ontem o pedido de liberdade condicional de Toledo, porque a prisão preventiva é contada a partir de sua entrega ao Peru, em abril de 2023, porque se refere à garantia de sua presença no julgamento.

Aldea descreveu a rejeição como precipitada e disse que os Estados Unidos deveriam intervir porque é sua obrigação legal zelar pelos direitos de Toledo como um condenado por corrupção, já que é o país que o extraditou.

Ele argumentou que o que ele chamou de violação dos direitos do ex-governador, preso por receber milhões em subornos, poderia impedir o pedido de autorização necessária, de acordo com as regras do tratado bilateral de extradição, para poder julgá-lo em outro caso pendente.

Ao mesmo tempo, os advogados recorrerão à Suprema Corte contra a decisão desfavorável ao seu pedido de libertação do prisioneiro que, como governador, mantinha relações estreitas com Washington.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS