19.5 C
Brasília
domingo, 14 julho, 2024

Ex-oficial da CIA explica possíveis motivos da tentativa de golpe na Bolívia: ‘EUA envolvidos’

Sputnik – A tentativa fracassada de golpe de Estado na Bolívia foi provavelmente uma “consequência direta” da aparição do presidente boliviano, Luis Arce, no Fórum Econômico Internacional de São Petersburgo, no início deste mês, e os Estados Unidos estiveram possivelmente envolvidos.

É o que afirma Larry Johnson, oficial de inteligência reformado da CIA e funcionário do Departamento de Estado dos EUA.

“O momento em que isso ocorreu, pelo fato de ter sido três ou quatro semanas após o Fórum Econômico Internacional de São Petersburgo, no qual o presidente boliviano Arce teve destaque no evento principal com o presidente [Vladimir] Putin, [é importante]”, observa Johnson, referindo-se a tentativa de golpe de Estado.

Sergei Lavrov, ministro das Relações Exteriores da Rússia, durante conferência de imprensa final à margem da 78ª sessão da Assembleia Geral das Nações Unidas, na sede da organização, em Nova York, EUA, em 23 de setembro de 2023 - Sputnik Brasil, 1920, 27.06.2024

Panorama internacional

Em conversa com homóloga boliviana, Lavrov condena tentativa de golpe na Bolívia

“Então, pode ser que esta tenha sido uma tentativa de criar, novamente, algum constrangimento adicional, destronando uma pessoa que estava tão intimamente associada ao presidente Putin“, complementa Larry.
Segundo o ex-oficial da CIA, o fato de países como Bolívia e Brasil serem vistos criando alianças com a Rússia e a China é “rejeitado por Washington, e acaba que isso é visto como um problema [às nações contrárias]“, acrescenta, observando que “a relação dos Estados Unidos com os militares bolivianos é antiga”.

Tentativa de golpe foi condenada em todo o mundo

Líderes de toda a América Latina, além de União Europeia, Ásia e Estados Unidos, condenaram a tentativa de golpe na Bolívia e expressaram apoio ao presidente Arce. O presidente venezuelano, Nicolás Maduro, em pronunciamento, convocou o povo boliviano a defender sua democracia e Constituição e o presidente. “É importante defender a paz e a estabilidade. A Bolívia conta com o apoio de toda a América Latina. O golpe deve acabar”, afirmou.
Em comunicado separado, o presidente cubano, Miguel Díaz-Canel, descreveu as imagens vindas da Bolívia como “indignantes”.
Luis Arce, presidente da Bolívia, se encontra com Luiz Inácio Lula da Silva, presidente do Brasil, na 63ª Cúpula do Mercosul, no Rio de Janeiro, em 7 de dezembro de 2023 - Sputnik Brasil, 1920, 27.06.2024

Notícias do Brasil

Lula: tentativa de golpe na Bolívia pode ter relação com minério; ‘maior reserva de lítio do mundo’

Líderes de ParaguaiUruguaiPeruChileMéxicoColômbiaHonduras e também Espanha emitiram declarações públicas rejeitando a tentativa de golpe e expressando apoio a Arce.
O governo do Brasil, em declaração do Ministério das Relações Exteriores, também fez a condenação e manifestou apoio e solidariedade a Arce e ao povo boliviano.
Josep Borrell, chefe da política externa da União Europeia, condenou qualquer tentativa de minar a ordem constitucional na Bolívia e de derrubar governos democraticamente eleitos, expressando solidariedade ao governo e ao povo boliviano.

Até mesmo entre a oposição boliviana houve apoio. Luis Fernando Camacho, líder da oposição no Congresso boliviano, afirmou seu respeito pela democracia do país, e a ex-senadora Jeanine Áñez condenou a mobilização militar, apelando à defesa da democracia através do voto em 2025.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS