20.5 C
Brasília
quarta-feira, 17 abril, 2024

EUA: falta tudo nos hospitais nos EUA, admite relatório do governo

Washington, (Prensa Latina) Ao contrário das garantias do presidente Donald Trump de que existem recursos suficientes para enfrentar o Covid-19, um relatório do governo publicado hoje insiste que os hospitais dos EUA carecem de tudo, desde ventiladores a termômetros.
O relatório observou que as instituições de saúde estão no limite de sua capacidade em meio a uma severa escassez de equipamentos de teste e proteção para o pessoal médico.

Embora os administradores do hospital sejam forçados a lidar com ‘aumentos acentuados’ nos preços de itens como máscaras, luvas e escudos, o relatório do inspetor-geral da Saúde e Serviços Humanos enfatizou.

O estudo argumentou que a falta de evidências obrigou os hospitais a prolongar a permanência dos pacientes, levando-os a funcionar além de suas capacidades, uma vez que necessitam, além de termômetros, desinfetantes, roupas de cama e alimentos, entre outros meios.

O relatório enfatizou que os médicos dos Estados Unidos continuam solicitando ventiladores para respiração assistida, embora o governo federal tenha limitado a distribuição desses dispositivos vitais aos territórios do país.

A situação dramática fez com que os hospitais previssem ‘que a falta de ventiladores levaria a decisões difíceis sobre alocação e responsabilidade ética’, disse o documento do governo, baseado em entrevistas realizadas de 23 a 27 de março em mais de 320 delas, instituições em 46 estados, no Distrito de Columbia e no bairro de Porto Rico.

As descobertas estão alinhadas com as solicitações dos governadores e da equipe de saúde, mas contrastam com as declarações de Trump, que afirmou neste fim de semana que os administradores do hospital estão ‘encantados por onde estão’.

‘Sempre que uma escassez local é relatada, pedimos aos estados que atendam à demanda imediatamente. E estamos armazenando grandes quantidades em diferentes áreas, em diferentes áreas’, disse Trump em entrevista à Casa Branca no sábado.

O relatório é divulgado dias depois de ter sido notado que a reserva nacional estratégica do governo estava quase esgotada.

A Agência Federal de Gerenciamento de Emergências (FEMA) racionou os respiradores que possui, de tal forma que os entregará apenas em hospitais com pacientes com risco de morte em 72 horas se não ingressarem neste equipamento.

Quase um mês se passou desde que a Organização Mundial de Saúde declarou a SARS-Cov-2, a causa da Covid-19, como uma pandemia. Naquele tempo, o patógeno se espalhou nos Estados Unidos, que passou de alguns surtos para liderar as estatísticas globais com mais de 336.000 infecções.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS