29.5 C
Brasília
sexta-feira, 1 março, 2024

EUA acusam ex-embaixador de espionar o governo americano para Cuba por mais de 40 anos

© AP Photo / Ramon Espinosa

Sputnik- Washington acusou nesta segunda-feira (4) um ex-embaixador seu de espionagem para Cuba durante mais de 40 anos, no que o Departamento de Justiça descreveu como uma das infiltrações de maior alcance e mais duradouras no governo norte-americano por um agente estrangeiro.

Victor Manuel Rocha serviu como embaixador dos Estados Unidos na Bolívia (2000-2002), mas também atuou em outros importantes cargos: entre 1981 e 2002 trabalhou para o Departamento de Estado; de 1994 e 1995 foi conselheiro do Conselho de Segurança Nacional dos EUA; e entre 2006 e 2012 conselheiro do Comando Sul do Exército norte-americano.
O embaixador da América é um espião: Victor Manuel Rocha trabalha secretamente para Cuba depois de 40 anos
O ex-embaixador foi preso e é acusado de ter cometido diversos crimes federais, incluindo ter sido um agente estrangeiro ilegal e ter usado um passaporte obtido de maneira fraudulenta, de acordo com o Departamento de Justiça.

“Alegamos que durante mais de 40 anos, Victor Manuel Rocha serviu como agente do governo cubano e procurou e obteve cargos dentro do governo dos Estados Unidos que lhe proporcionariam acesso a informações não públicas e a capacidade de afetar a política externa dos EUA”, disse o procurador-geral Merrick Garland em um comunicado citado pela agência Reuters.

Em um documento judicial apresentado no distrito sul da Florida, os EUA acusam Rocha de ter apoiado secretamente Cuba e a sua missão clandestina de recolha de informações contra Washington desde 1981.
Washington descobriu a “dupla face” de Manuel Rocha quando o mesmo admitiu suas décadas de trabalho para Cuba em uma série de reuniões em 2022 e 2023 com um agente do FBI disfarçado que se passou por representante secreto da Direção-Geral de Inteligência cubana, de acordo com o documento do tribunal.
Rocha, 73 anos, foi preso e deve comparecer perante um juiz federal em Miami na próxima segunda-feira (11). O ex-embaixador nasceu em 1950 na Colômbia e cresceu em uma casa de classe média na cidade de Nova York.

Logotipo da empresa General Electric na Bolsa de Valores de Nova York, EUA, 26 de junho de 2018 - Sputnik Brasil, 1920, 03.01.2023

Panorama internacional

EUA condenam engenheiro acusado de espionagem comercial para a China, diz Departamento de Justiça

ÚLTIMAS NOTÍCIAS