28.5 C
Brasília
sexta-feira, 1 março, 2024

Estudantes marcham em Londres em solidariedade à Palestina

Estudantes e trabalhadores marcham em Londres em solidariedade com a Palestina.

HispanTV – Centenas de estudantes marcharam esta quinta-feira em Londres em solidariedade com a Palestina e em rejeição da cumplicidade do Reino Unido com a agressão de Israel em Gaza.

Os manifestantes defenderam um cessar-fogo imediato e o fim do cerco do regime israelita à Faixa de Gaza, e também exigiram o fim das ações “repressivas” das autoridades britânicas contra os manifestantes pró-palestinos.

Activistas e estudantes fizeram discursos expressando o seu apoio ao povo da Palestina e condenando o Governo do Reino Unido pelo seu apoio político, diplomático e militar à entidade sionista.

O protesto contou com o apoio de organizações sociais e sindicais, bem como de figuras políticas como o antigo líder do Partido Trabalhista Jeremy Corbyn, que questionou a alegada participação dos militares britânicos na agressão israelita contra a Faixa de Gaza.

“Tenho feito uma série de perguntas ao Parlamento esta semana, para garantir que não há tropas britânicas envolvidas; (…) Não estou satisfeito com nenhuma das respostas que recebi porque acredito que estamos a oferecer cooperação militar com uma potência que está a destruir dezenas de milhares de civis”, disse Corbyn em declarações citadas pelo portal PressTV.

A Polícia Britânica prende 9 pessoas por pendurarem uma faixa em Londres em apoio ao povo palestino, vítima da barbárie israelense.

No domingo passado, uma fonte militar do Reino Unido informou que aviões da Força Aérea Real realizariam voos de vigilância sobre os territórios ocupados pelo regime sionista e pela Faixa de Gaza.

Segundo comunicado do Ministério da Defesa britânico, a aeronave “estará desarmada, não terá função de combate e terá como única função localizar reféns”.

Nas últimas semanas, inúmeras cidades britânicas foram palco de manifestações exigindo o fim das atrocidades do regime israelita contra os palestinianos na sitiada Faixa de Gaza. Os manifestantes também exigem o fim da venda de armas à entidade sionista.

Israel travou uma guerra genocida contra Gaza em retaliação à Operação Tempestade Al-Aqsa lançada pelo Movimento de Resistência Islâmica Palestina HAMAS em 7 de Outubro em resposta à escalada de crimes do regime sionista contra o povo palestino.

Os ataques aéreos indiscriminados do exército israelense e a incursão terrestre em Gaza foram retomados na sexta-feira passada, após uma trégua de sete dias. Esta agressão criminosa custou a vida a cerca de 17.200 civis, a maioria deles crianças e mulheres.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS