27.5 C
Brasília
sábado, 20 abril, 2024

Encerramento da cimeira do GECF, coroada pela consensual “Declaração de Argel”: Na Cimeira do Sucesso

Foto: Prensa Latina

El Moudjahid  – A VII Cimeira de Chefes de Estado e de Governo do Fórum dos Países Exportadores de Gás (GECF) encerrou neste sabado (02), sob a presidência do Presidente da República, Abdelmadjid Tebboune, com a adopção da “Declaração de Argel”, que coroou esta evento global de sucesso pelos seus resultados e pela grande participação que o marcou.

Os membros do GECF afirmaram estar determinados, na Declaração de Argel adoptada por unanimidade pelos participantes nos trabalhos da Cimeira, realizada no Centro Internacional de Conferências (CIC) – Abdelatif-Rahal, em reforçar a sua cooperação e proporcionar um ambiente eficiente e confiável fornecimento de gás natural, mas também para expandir a sua utilização para o desenvolvimento sustentável e mitigar o impacto das alterações climáticas.

Os signatários desta Declaração também apelaram ao investimento oportuno na estabilidade do mercado e no acesso “não discriminatório” à transferência de tecnologia e conhecimento.

Concordaram também em reforçar o estatuto do GECF, promovendo a sua presença internacional, atraindo novos membros, incentivando parcerias, facilitando o diálogo entre produtores e consumidores e expandindo a cooperação com organizações e organismos internacionais.

Os membros do GECF também se comprometeram a reforçar o papel do fórum como plataforma líder de diálogo e cooperação em assuntos de gás natural, além de beneficiarem do Instituto de Investigação de Gás do GECF, GRI, com sede em Argel, para expandir a cooperação, particularmente em tecnologias de gás natural, investigação e reforçar as capacidades de inovação.

No final dos trabalhos da Cimeira, o Presidente da República disse à imprensa que este evento foi “coroado de sucesso, graças a uma ampla participação”, qualificando a Declaração de Argel como “um passo importante para enfrentar os desafios actuais e futuros”, que reflete a determinação dos membros do Fórum “em ampliar o uso do gás com a competência e a sustentabilidade exigidas em um mundo marcado por mudanças aceleradas”.

O Presidente da República destacou o compromisso reiterado pelos membros do GECF em consolidar o lugar do Fórum como fórum de diálogo e cooperação regional e internacional, que hoje atrai novos membros, ao mesmo tempo que insistiu “nos direitos soberanos dos países membros sobre seus recursos de gás”.

Ele lembrou, na ocasião, “o papel de liderança do fórum no apoio ao desenvolvimento sustentável e à segurança energética global de acordo com os Objetivos das Nações Unidas”.

Por seu lado, os Chefes de Estado que participaram nos trabalhos da Cimeira destacaram o papel desempenhado pela Argélia na garantia da estabilidade dos mercados energéticos globais, reunindo as opiniões dos países do Fórum, apelando ao mesmo tempo ao reforço da cooperação para satisfazer os desafios do sector energético no contexto das mudanças geopolíticas internacionais.

Afirmaram também a vontade dos membros do Fórum de planear de forma independente a exploração dos seus recursos energéticos, como o gás, em favor do seu desenvolvimento sustentável, bem como o seu compromisso em alcançar os objectivos estratégicos do Fórum.

Sexta-feira, quando os chefes de Estado participantes na cimeira começaram a chegar a Argel, os trabalhos da Reunião Ministerial Extraordinária preparatória da Cimeira terminaram com a adopção da última versão da Declaração de Argel.

Além disso, o GECF atribuiu os seus prémios do ano de 2024 a instituições e personalidades que tenham dado “contributos excepcionais” ao sector do gás, dos quais o primeiro prémio foi para a empresa nacional de hidrocarbonetos, Sonatrach.

À tarde decorreram reuniões e reuniões bilaterais, marcadas pela assinatura de dois memorandos de entendimento entre a Sonatrach e a empresa venezuelana de hidrocarbonetos PDVSA.

Quinta-feira, foi inaugurada a sede do Instituto de Investigação de Gás GECF em Argel

O Fórum dos Países Exportadores de Gás (GECF), criado em 2001 e do qual a Argélia é membro fundador, é composto por 12 membros permanentes (Argélia, Bolívia, Egipto, Guiné Equatorial, Irão, Líbia, Nigéria, Qatar, Rússia, Trinidad – e Tobago, Emirados Árabes Unidos, Venezuela).

Conta ainda com 7 membros observadores (Angola, Azerbaijão, Iraque, Malásia, Mauritânia, Moçambique, Peru), enquanto se aguarda a adesão oficial do Senegal, em Abril de 2024, após a validação do seu pedido de adesão, sexta-feira pela reunião ministerial do Fórum.

Esta organização intergovernamental representa os principais países exportadores de gás do mundo, representando 70% das reservas comprovadas de gás do mundo, mais de 40% da produção comercializada, 47% das exportações de gasodutos e mais de metade das exportações mundiais de GNL.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS