21.5 C
Brasília
domingo, 23 junho, 2024

Economia boliviana desmente críticas ao modelo

La Paz, 28 de agosto (Prensa Latina) A geração de renda mais alta e a inflação controlada em um contexto internacional adverso confirmam hoje a validade e a força do Modelo Econômico Social da Comunidade Produtiva (Mescp) da Bolívia, disse o ministro da Economia, Marcelo Montenegro.

“Há formadores de opinião que sempre dirão que o modelo económico está a esgotar-se, mas a realidade é que o modelo está plenamente em vigor e proporciona estabilidade ao povo boliviano”, disse Montenegro em entrevista ao canal estatal Bolivia TV.

Desta forma, refutou aqueles que criticam os pilares do Mescp como o forte investimento público, a redistribuição de renda e a industrialização com o objetivo de substituir importações.

Segundo a manchete, graças ao Mescp a Bolívia mantém crescimento do produto interno bruto (PIB), estabilidade de preços e rendimentos mais elevados num contexto internacional caracterizado pelos elevados interesses dos países industrializados como forma de conter as taxas de inflação.

Outro fator contrário é a guerra entre Rússia e Ucrânia na Europa, que dificulta o acesso a muitos produtos e encarece seus preços no mercado internacional.

No meio desta realidade, a Bolívia registou uma taxa de inflação de 1,2% em Julho passado, a mais baixa da América Latina e uma das seis mais baixas do mundo.

Simultaneamente, no primeiro trimestre deste ano, o crescimento do PIB foi de 2,3 pontos percentuais, acima da média esperada para a América Latina de 1,6 unidades em 100.

“São dados concretos que noutros países e regiões do mundo chamam muita atenção e isso graças à aplicação do modelo económico”, disse.

Ele alertou que antes a Bolívia chamava a atenção por ter altos índices de hiperinflação e agora os olhos estão voltados para a aplicação de um modelo que controle esses indicadores e os mantenha baixos.

Montenegro reiterou que o Mescp se baseia em pilares como a promoção da procura interna e a industrialização com substituição de importações.

O Orçamento Geral do Estado para 2023 prevê um crescimento do PIB de 4,86 ​​por cento e uma inflação de 3,57 por cento com uma taxa de câmbio sem variação.

Segundo o Instituto Nacional de Estatística, em 2022 a Bolívia alcançou um PIB de 44 mil 315 milhões de dólares, quase cinco vezes o que a nação andino-amazônica registrava em 2005, antes da criação do Mescp.

Nestas circunstâncias, o PIB per capita em Agosto de 2023 ultrapassa os 3.691 dólares.

Este indicador expressa o valor dos bens e serviços produzidos dentro dos limites geográficos de uma economia num determinado período, geralmente um ano.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS