24.5 C
Brasília
segunda-feira, 27 maio, 2024

Dezessete morrem em protestos contra véus no Irã

Cartaz com o rosto de Mahsa Amini com a frase “mulheres iranianas dizem não ao hijab” – Getty Images

Manifestações eclodiram no país inteiro há seis dias, por conta da morte de uma jovem após ser detida pela polícia por não usar o véu ‘corretamente’. Caso iniciou movimento sem precedentes de mulheres do país contra a repressão policial e a imposição da chama ‘polícia da moralidade’.

Mulher corta o cabelo em público como forma de protesto no Irã.  — Foto: Yasin AKGUL / AFPMulher corta o cabelo em público como forma de protesto no Irã.  — Foto: Yasin AKGUL / AFP

Dezessete pessoas morreram durante os intensos protestos que acontecem há seis dias no Irã por conta da morte de uma jovem detida pela polícia.

As manifestações eclodiram após a jovem, de 22 anos, ser hospitalizada e morrer enquanto estava sob custódia policial por não usar o véu “adequadamente”. O governo iraniano ainda não esclareceu quais foram as causas da morte, que incitou um movimento sem precedentes no país contra a repressão às mulheres e à chamada “polícia da moralidade” que existe no Irã.

Pela lei iraniana, que é baseada na Sharia – uma interpretação jurídica do Corão -, as mulheres devem usar o hijab, um tipo de véu islâmico que cobre a cabeça, o cabelo e o pescoço.

Entenda como morte de jovem por causa de véu desencadeou protestos no Irã

Entre os mortos nos protestos estão manifestantes e integrantes das forças de segurança, de acordo com um balanço oficial divulgado nesta quarta-feira (22).

As mortes aconteceram durante confrontos entre os manifestantes e a polícia em diferentes regiões do país, como Tabriz, Qazvin e Mashhad, no nordeste, em Shiraz, no centro do país, e em Kermanshah e no Curdistão iraniano, no noroeste.

A jovem morta após ser detida pela polícia, Mahsa Amini, é natural do Curdistão e passava férias com a família no nordeste do Irã quando foi repreendida e presa por policiais que afirmaram que ela não usava o véu corretamente.

As autoridades iranianas negam a responsabilidade das forças de segurança na morte dos manifestantes. Segundo a imprensa iraniana, todas as mortes ocorreram por tiros ou esfaqueamento.

Leia também:

PROTESTOS NO IRÃ: ‘polícia da moralidade’ é alvo de ira após morte de mulher presa por estar sem véu

Mais uma vez, ONU acusa França de preconceito religioso por impedir uso do véu islâmico

Fonte G1

ÚLTIMAS NOTÍCIAS