29.5 C
Brasília
sexta-feira, 1 março, 2024

Cuba retoma sua longa história de amor com o cinema brasileiro

Havana, 7 jan (Prensa Latina) Com a presença neste mês do Brasil como convidado de honra da 32ª Feira Internacional do Livro de Havana, o cinema daquele país sul-americano retorna às telas cubanas em uma mostra cinematográfica.

Como comentou com exclusividade à Prensa Latina o programador da Cinemateca Cubana, Antonio Mazón, a “longa história de amor” que a cinematografia brasileira tem com as instituições culturais nacionais retorna, porque durante a Feira, marcada para os dias 15 a 25 de fevereiro, será exibida a mostra Literatura e Cinema Brasileiros. ser realizada.

A intenção deste evento, organizado pelo Instituto Cubano de Arte e Indústria Cinematográfica (Icaic) e pelo Instituto Cubano do Livro, é acompanhar o chamado festival das letras com a sétima arte do gigante sul-americano, e mostrar ao público em um significado amplo sua relação com a literatura.

Os filmes serão exibidos de 17 a 25 de fevereiro nos cinemas 23 e 12, em lotes programados às 14h e às 17h, horário local, disse Mazón.

Especificou que esta seleção inclui sete longas-metragens com um amplo leque de adaptações de obras literárias, musicais, teatrais e outras manifestações artísticas.

Além disso, serão exibidos 12 curtas-metragens rodados por estudantes brasileiros que estudam na Escola Internacional de Cinema de San Antonio de los Baños, comentou o entrevistado.

O filme inaugural, que segundo Mazón teve ótimas críticas, será O Beijo no Asfalto, dirigido pelo conhecido ator e diretor Murilo Benicio e baseado em uma peça do famoso dramaturgo Nelson Rodrigues.

Como grande atração, conta com um elenco estelar formado pelos atores Lázaro Ramos, Fernanda Montenegro e Débora Falabella.

O público poderá ver variedades, incluindo um filme baseado em um conto de Clarice Lispector; e outra em uma canção famosa do Brasil, e desta uma história de amor.

Dentro deste evento, realizado nas salas 23 e 12, haverá uma exposição LGBTI que tratará da diversidade, segundo o programador da Cinemateca Cubana.

Toda a exibição do cinema brasileiro, em geral, inclui audiovisuais realizados de 2018 a 2023.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS