13.5 C
Brasília
domingo, 26 maio, 2024

Cuba e Argentina, sempre irmãs

Photo: Estudios Revolución

«Cuba estará sempre fortalecendo e expandindo as relações com a Argentina», disse o primeiro-secretário do Comitê Central do Partido e presidente da República, Miguel Díaz-Canel Bermúdez, ao vice-chefe do gabinete argentino, Jorge Neme, à frente de uma delegação oficial em visita à Ilha.

O presidente enviou saudações afetuosas ao presidente Alberto Fernández, bem como ao resto dos amigos de Cuba no país irmão. Reconheceu o papel da nação sul-americana na luta da Ilha contra o bloqueio do governo dos EUA.

Agradeceu à Argentina por sua posição na presidência pro tempore da Comunidade dos Estados da América Latina e Caribe (Celac), que exige que não haja exclusão de qualquer tipo na próxima Cúpula das Américas.

Díaz-Canel elogiou a forma como a Argentina tem trabalhado na prevenção e controle da Covid-19, com ações e políticas públicas eficazes, especialmente em relação aos mais vulneráveis.

Recepção do chefe de gabinete adjunto argentino Jorge Neme Photo: Estudios Revolución

Insistiu na posição de Cuba em relação à soberania da Argentina sobre as Malvinas, Geórgia do Sul e Ilhas Sandwich do Sul.

«Vocês tiveram uma atividade intensa», comentou o presidente ao chefe de Gabinete Adjunto, ao recebê-lo em um dos salões do Palácio da Revolução, junto com o embaixador argentino Luis Ilaregui.

«Intensa, mas muito positiva», respondeu Neme.

«Esta é uma visita muito importante para dar continuidade aos laços bilaterais», disse o presidente, «especialmente em um grupo de projetos ligados à agricultura e à indústria agroalimentar, às fontes de energia renováveis, à biotecnologia e à indústria farmacêutica, e ao intercâmbio comercial».

O primeiro-secretário pediu maior participação das empresas argentinas na economia, para que a nação do sul possa se estabelecer como um dos principais parceiros na região.

Jorge Neme ratificou o apoio da Celac à participação de Cuba na Cúpula das Américas, e a posição de seu país de que a América Latina e o Caribe deveriam agir como um só, um dos assuntos que discutiu com o ministro das Relações Exteriores Bruno Rodríguez.

O executivo delineou as reuniões que realizou com o vice-primeiro ministro Ricardo Cabrisas Ruiz, e com o ministro do Comércio Exterior e o Investimento Estrangeiro, Rodrigo Malmierca Díaz, com quem discutiu como fazer mais progressos em colaboração, bem como com o ministro da Agricultura, Ydael Pérez Brito.

Contou a Díaz-Canel o convite que havia feito a eles e a outros executivos para visitar a província argentina de Córdova, em junho, a fim de continuar avaliando tudo o que eles podem contribuir para o desenvolvimento agrícola da Ilha. «Este é um caminho que temos que começar», enfatizou.

O esforço, acrescentou, faz parte da necessidade de Cuba de fazer mais progressos neste setor, e da necessidade da Argentina de internacionalizar o trabalho de suas empresas.

Em um aparte com a imprensa, o chefe adjunto do Executivo argentino referiu-se à possibilidade de contribuir com o fornecimento de máquinas agrícolas, transferência de conhecimentos e aplicação de métodos de semeadura direta, genética e tecnologia, nos quais sua nação tem um desenvolvimento de primeiro nível.

O objetivo é introduzir estes resultados na Ilha pelas próprias empresas argentinas, em áreas agrícolas de várias províncias da Ilha maior das Antilhas, através de um mecanismo que eles chamam de agricultura «chave na mão».

Recepção do chefe de gabinete adjunto argentino Jorge Neme Photo: Estudios Revolución

ÚLTIMAS NOTÍCIAS