22.5 C
Brasília
terça-feira, 18 junho, 2024

Com discurso anti-China, Milei pode ruir trabalho da Argentina para ingressar no BRICS

© AP Photo / Natacha Pisarenko

Sputnik – Ainda falta chão até outubro para que aconteçam as eleições no país vizinho com a disputa ainda bastante aberta, entretanto, a porcentagem de votos nas primárias a Javier Milei ligou a luz vermelha para várias parcerias argentinas e suas atuais ambições de política externa.

Em 2022, durante viagem do presidente argentino Alberto Fernández à China, Buenos Aires divulgou pela primeira vez sua vontade de entrar no BRICS na reunião entre o presidente e seu colega Xi Jinping.
De lá para cá, a Argentina vem substancialmente, através de sua chancelaria, reafirmando a intenção de aderir ao bloco e enviou oficialmente sua solicitação. Entretanto, todo esse trabalho pode vir por água abaixo caso o Javier Milei leve a cadeira da presidência nas próximas eleições.
Reunião do Comitê do BRICS sobre política antimonopólio      - Sputnik Brasil, 1920, 08.09.2022

Panorama internacional

Argentina apresenta à China solicitação de adesão formal ao BRICS por ‘oportunidade histórica’

O economista ultraliberal obteve um resultado melhor do que o esperado nas primárias do país em sua busca pela Casa Rosada. Milei vem prometendo uma ruptura radical com alguns aliados de Buenos Aires, como a Rússia e China, membros importantes do BRICS.
Nesta quinta (17), o presidenciável disse que, caso seja vitorioso nas eleições, não pretende fazer parceria comercial com a China, conforme noticiado. Em sua visão, Pequim não deixa sua população livre.
“As pessoas não são livres na China, não podem fazer o que querem e, quando o fazem, são mortas. Você faria comércio com um assassino?”, afirmou.
Acontece que a China é o segundo maior parceiro comercial da Argentina, é o membro com mais peso no BRICS e o principal defensor da expansão do organismo, ou seja, caso a retórica do presidenciável não mude, é bem provável que a articulação do governo Fernández para o ingresso da Argentina seja ruindo.
A viagem do atual mandatário a Pequim no ano passado resultou na adesão formal de seu país à Nova Rota da Seda, projeto de infraestrutura patrocinado pelo governo chinês, o que mostra mais um laço entre o país sul-americano e asiático que pode ter as estruturas abaladas caso Milei seja eleito.
Argentina firma 3 acordos de cooperação com China e se junta à Nova Rota da Seda - Sputnik Brasil, 1920, 07.02.2022

Panorama internacional

Argentina firma 3 acordos de cooperação com China e se junta à Nova Rota da Seda

Se Milei vier à China “ele encontrará uma resposta totalmente diferente à questão de se o povo chinês é livre”, completou Webin segundo a coluna de Marcelo Ninio em O Globo.
O colunista ainda afirma que “a sombra de Milei pode tirar a Argentina da primeira turma e botar na geladeira o já iniciado processo de entrada do país no Banco do BRICS – ao menos até 22 de outubro”.

Milei (A Liberdade Avança) teve 30,04% dos votos no último domingo (13), tendo Patricia Bullrich (Juntos Pela Mudança) logo atrás com 28,27% e Sérgio Massa (União Pela Pátria) com 27,27%. O que demonstra que mesmo com a surpresa dos votos no economista, a disputa ainda está aberta.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS