20.5 C
Brasília
segunda-feira, 26 fevereiro, 2024

Colômbia oficializa retorno à Unasul

Bogotá, 6 dez (Prensa Latina) A Colômbia oficializou seu retorno à União de Nações Sul-Americanas (Unasul) após quase cinco anos de ausência, uma decisão que responde ao compromisso do país com a unidade regional, informou o Itamaraty em comunicado.

Segundo a instituição, o retorno à organização surgida em 2008 também segue o apelo do presidente Gustavo Petro para fortalecer os laços de colaboração na América do Sul.

Na primeira reunião do Conselho de Delegados, realizada na véspera, a Colômbia reafirmou a sua vontade nesta nova etapa de participação ativa no processo de integração regional, destacou o texto, lembrando que durante a reunião os países trocaram opiniões sobre o caminho futuro no âmbito do mecanismo.

O regresso desta nação, acrescentou, representa um marco na sua política de integração regional ao promover a reactivação do bloco e demonstra a vontade do país de trabalhar de mãos dadas com os outros Estados-membros para enfrentar os desafios e oportunidades partilhados na área. .

Por outro lado, afirmou, com base nas competências do Conselho, este órgão desempenhará um papel fundamental na implementação de decisões, na preparação de reuniões de alto nível, na preparação de projectos regulatórios, na coordenação com outros processos de integração e a promoção de espaços de diálogo cidadão.

Composto por representantes de cada país, o Conselho se reunirá periodicamente para avançar na agenda de integração, afirmou o Itamaraty, enfatizando que ao retornar à Unasul, a Colômbia busca contribuir ativamente para a construção de um futuro de cooperação e desenvolvimento sustentável na área.

A organização surgiu em 2008 com a assinatura do seu Tratado Constitutivo, que entrou em vigor em 2011 com o objetivo de construir uma identidade e cidadania sul-americana e desenvolver um espaço regional integrado.

Em 2018, vários países governados por líderes de direita contrários ao processo integracionista na região decidiram suspender a sua participação na organização.

Petro anunciou a reentrada do seu país na organização no dia 30 de maio, no âmbito da cimeira de presidentes sul-americanos realizada no Brasil por iniciativa do líder Luis Inácio Lula da Silva e onde vários participantes apoiaram a iniciativa de revitalização do bloco.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS