26.5 C
Brasília
domingo, 26 maio, 2024

Chomsky alerta para sério declínio dos EUA devido aos golpes internos

O renomado cientista político americano Noam Chomsky.

Hispantv – O renomado cientista político e linguista Noam Chomsky ressalta que o declínio dos Estados Unidos é grave e se deve principalmente a golpes internos.

“O recente declínio dos EUA se deve principalmente a choques domésticos. E é grave”, alertou o também filósofo americano em entrevista concedida nesta quinta-feira ao portal local Truthout, lembrando que o auge do poder de Washington, sem paralelismo histórico, foi em 1945, e desde então vem declinando.

Ele também considerou a taxa de mortalidade como uma questão crucial no declínio do país norte-americano, ao se referir a um estudo recente que indicava que os Estados Unidos passavam por uma crise de morte precoce muito antes da pandemia de coronavírus.

Egido: Pandemia revela natureza brutal da sociedade americana
“O estudo continua mostrando que ‘mesmo antes do início da pandemia, mais pessoas morriam em idades mais jovens do que em nações comparativamente ricas'”, enfatizou, acrescentando que os números de mortalidade vão muito além do fenômeno de “mortes por desespero” entre americanos brancos em idade de trabalhar, desconhecidos além da guerra e da peste.

EEUU está al borde de una guerra civil, alerta expresidente Carter | HISPANTVOs EUA estão à beira de uma guerra civil, adverte o ex-presidente Carter | HISPANTV

No primeiro aniversário do ataque ao Capitólio dos Estados Unidos, Jimmy Carter alerta para o alto risco de eclosão de uma guerra civil no país.

Aludindo aos desafios criados pela “democracia americana” como outro fator interno que afeta tal declínio, o cientista político denunciou o “plano radical” de minar os remanescentes da democracia estadunidense, cuja ideia é reverter programas do século 19 para criar uma política apolítica serviço civil, uma base essencial para uma democracia funcional.

China: democracia dos EUA é para elites e cheia de “deficiências”
A esse respeito, o ex-presidente dos EUA, Donald Trump, “emitiu uma ordem executiva concedendo a ele (que pretendia ser ele, ou talvez mais precisamente ele) a autoridade para conceder aos altos escalões do serviço público legalistas, um passo em direção ao ideal fascista de um partido poderoso com um líder máximo que controla a sociedade”, recriminou. No entanto, o inquilino da Casa Branca Joe Biden reverteu a ordem, observou ele.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS