Brasília, 2 de dezembro de 2021 às 13:33
Selecione o Idioma:

Chile

Postado em 12/07/2016 6:44

Chile intensifica luta contra concentração de poder da mídia

.

A presidenta do Colégio de Jornalistas do Chile, Javiera Olivares, pediu uma intensificação na batalha contra a concentração de poder nos meios de comunicação do país.
A propósito do 60′ aniversário do Colégio de Jornalistas e em uma intensa celebração na qual se apresentou o famoso grupo Inti Illimani, Olivares sublinhou que na busca de uma sociedade inclusiva o papel dos meios é essencial.

Criticou duramente o monopólio do El Mercurio e seus associados, e em particular, o seu diretor Agustín Edwards Eastman, acusado de cumplicidade no golpe de Estado de Augusto Pinochet, em sua campanha contra o Governo de Salvador Allende.

Olivares pronunciou-se pela descentralização dos meios de comunicação no Chile e assegurou que a hoje chamada liberdade de expressão é uma liberdade de empresas que através de seus órgãos de imprensa discriminam as maiorias.

A presidenta da República, Michelle Bachelet, enviou uma mensagem aos jornalistas chilenos destacando sua importância e projeção na sociedade que seu Governo pretende desenvolver, com a educação como prioridade dentro de suas reformas.

O texto foi lido pelo ministro e secretário-geral do Governo, Marcelo Díaz, que por sua vez aplaudiu o papel dos meios e convidou-os a somar-se com objetividade e transparência no processo de mudanças empreendido por sua administração.

Díaz, que é o porta-voz oficial do Palácio de La Moneda, assinalou que o processo constituinte recém iniciado em todo o país é uma oportunidade para que os chilenos deixem para trás uma Carta Magna herdada da ditadura.

Vários ministros, embaixadores, prefeitos e o presidente do Partido Comunista do Chile, Guillermo Teillier, estiveram no evento no qual se apresentou também o grupo A Víctor sin Víctor, homenagem ao assassinado músico Víctor Jara.

Na ocasião da celebração, o Colégio de Jornalistas e a Unesco promovem o seminário internacional Liberdade de Expressão, Direito à Comunicação Universal e Meios Plurais para as Democracias do Mundo.

Espera-se a participação de Julian Assange, o fundador do Wikileaks, em streaming de Londres, Francisco Sierra (Equador), Gustavo Gómez (Uruguai), Damián Loreti e Guillermo Mastrini, ambos da Argentina, e Beatriz Costa (Brasil).

Pelo Chile estarão a catedrática María Olivia Monckeberg, Alejandra Matus, Alejandro Guillier, Carolina Robino (BBC), Bruno Sommer, Javiera Olivares, Pedro Cayuqueo, Pía Matta e Javier Rebolledo.

Fonte: Prensa Latina

 

Comentários: