23.5 C
Brasília
quarta-feira, 24 julho, 2024

Chanceler do Uruguai renuncia após áudios ligados a escândalo com passaporte de traficante vazarem

© AFP 2023 / Evaristo Sa

Sputnik – Na quarta-feira (2), o ministro das Relações Exteriores do Uruguai, Francisco Bustillo, renunciou depois que telefonemas vazados sugeriram que ele tentou obstruir uma investigação sobre a emissão de passaporte para um traficante de drogas internacionalmente condenado.

Em novembro de 2022, o jornal local Busqueda publicou um telefonema de novembro de 2022 no qual Bustillo parecia sugerir que a ex-vice-ministra das Relações Exteriores, Carolina Ache, escondesse provas. Ontem (22), Ache, que também renunciou no ano passado, foi interrogada por um promotor público que investiga o caso, segundo a Bloomberg.

O caso gira em torno do fato de que o governo de Luis Lacalle Pou teria acelerado a obtenção de um passaporte para Sebastian Marset – cidadão uruguaio que cumpriu pena por tráfico de drogas –, lhe permitindo deixar os Emirados Árabes Unidos no final de 2021, onde foi detido por viajar com um passaporte paraguaio falso.

As autoridades dizem que Marset, 32 anos, criou uma organização criminosa no Paraguai, Uruguai e Bolívia para exportar cocaína para a Europa. Ele também é acusado de ser o mentor do assassinato do promotor paraguaio Marcelo Pecci na Colômbia em 2022.
A renúncia ocorre no momento em que Lacalle Pou está em Washington esta semana para participar de uma reunião entre líderes latino-americanos e o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden.
De acordo com a AP News, Bustillo, ao apresentar sua demissão, disse que a fazia “para dissipar qualquer suspeita de que, como figura de autoridade, eu possa exercer influência indevida sobre terceiros, protegido pelos privilégios da minha posição”.
Manifestantes, um deles agitando uma bandeira uruguaia, carregam cartazes com imagens de pessoas desaparecidas durante a ditadura uruguaia de 1973-85 durante uma marcha em Montevidéu, Uruguai - Sputnik Brasil, 1920, 21.06.2023

Panorama internacional

Vazamento de arquivos militares no Uruguai reacende suspeitas após meio século de ditadura no país

Segundo a mídia, após a divulgação dos áudios os líderes da oposição apelaram ao presidente para demitir vários altos funcionários, incluindo Bustillo e o ministro do Interior, Luis Alberto Heber, entre outros.

A saída abrupta de Bustillo no chamado “caso Marset” aumenta a lista crescente de escândalos governamentais em um país com reputação de baixos níveis de corrupção. A mídia sublinha que o mais recente índice de corrupção da Transparência Internacional classificou o Uruguai entre as nações menos corruptas das Américas, no mesmo nível do Canadá.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS