26.5 C
Brasília
terça-feira, 28 maio, 2024

Casos de varíola aumentam na Colômbia

Bogotá (Prensa Latina) A Colômbia tem 273 casos de varíola, confirmou hoje o Instituto Nacional de Saúde (INS) em seu resumo semanal.

O INS explicou que a maioria das infecções registradas com esta doença são encontradas em Bogotá, com 227.

Segundo a entidade, foram analisados ​​699 casos possíveis, dos quais 273 foram positivos, há 184 amostras suspeitas em estudo e 242 foram descartadas.

Os três primeiros casos desta doença na Colômbia foram confirmados em 23 de junho e, em 26 de julho, o governo elevou o risco de transmissão de moderado para alto.

Febre, dor de garganta, dor de cabeça, dores musculares e tosse são alguns de seus primeiros sintomas, acompanhados de cárie e inflamação dos gânglios linfáticos do pescoço, virilha e axilas.

Erupção cutânea e, em seguida, bolhas dolorosas no rosto, braços e pernas também aparecem sete a 14 dias após a infecção. A doença pode durar entre duas e quatro semanas e tem sintomas mais leves do que a varíola.

Este vírus pode ser transmitido através do contato com fluidos corporais, pele quebrada ou roupas e roupas de cama contaminadas.

A transmissão para pessoas pode ocorrer por contato direto com lesões de pele ou gotículas exaladas de uma pessoa infectada ou com objetos recentemente contaminados com os fluidos do paciente, como toalhas ou lençóis.

Atualmente, não existem tratamentos específicos para a infecção por varíola dos macacos, embora geralmente seja uma doença benigna e os sintomas geralmente se resolvam espontaneamente.

No entanto, é importante cuidar da erupção deixando-a secar ou cobrindo com um curativo úmido para proteger, se necessário. Além disso, deve-se evitar tocar nas feridas na boca ou nos olhos, aconselhe as autoridades de saúde.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS