19.5 C
Brasília
quarta-feira, 22 maio, 2024

Carta aberta para Cláudia Leite

(Foto: Divulgação – Correio do Estado)

Por: André Gabeh

Claudia Leite, acredito que você  esteja cercada de pessoas que a todo momento te falam: Diva, lacrou, maravilhosa,hitou… Mas eu preciso te contar um negócio muito sério, coisa pontual: você é

cantora de um gênero chamado AXÉ MUSIC.  Não é CANÇÃO NOVA MUSIC, NÃO É ZAQUEU MUSIC, NÃO É LOUVA MUSIC…É AXÉ MUSIC.  Sabe o que é Axé, fia? AXÉ É VIDA, FORÇA, É PODER.  AXÉ é o AMÉM do povo preto, É também o nosso DEUS TE ABENÇOE, o nosso QUE SUA VIDA SEJA PLENA E ABUNDANTE. Respeite isso. Você comprou suas casas, hidratou seus cabelos, pagou a escola de seus filhos, fez capas de discos com blackface, lançou sucessos questionáveis com letras lactobacílicas e próbioticas… Tudo isso graças a sua carreira construída sobre os pilares de um estilo musical chamado AXÉ MUSIC. Tá entendendo? Você faz sucesso se fingindo de baiana, se fingindo de cantora, se fingindo de afro-loira GRAÇAS AO AXÉ MUSIC. Organizou isso na sua mente? Então vigia, varoa. Vigia muito atentamente e pare de fazer a pêssega ungida.

Você e seus fãs que apoiam a sua palhaçada de trocar YEMANJÁ por SÓ LOUVO MEU REI YESHUÁ precisam tomar vergonha em suas caras lactósicas, precisam se dar o respeito. Ressignifique a sua carreira genérica e não menospreze uma cultura totalmente eclipsada que te, infelizmente, consagrou. Se componha, obreira.

Cante Gospel. Cante louvores. Sabemos que pra isso você terá que estudar muito, ajustar respiração, apoio, laringe, filtros e fontes sonoras, porque a música “gospel” brasileira é conhecida por cantores de muitos recursos vocais, coisa que a gente sabe que você precisa desenvolver. Faça isso, você consegue. Estude, treine. És uma mulher linda e ficará maravilhosa com tailleurs e terninhos de tecido brilhante cantando versões de ENTRA NA MINHA CASA, ENTRA NA MINHA VIDA, PORQUE ELE VIVE E GRANDIOSO ÉS TU. Força guerreira. Tem que ter gogó. Tens Gogó? Então vá.

MAS NÃO FAZ GRAÇA COM O NOME DE YEMANJÁ. Não substitua o nome santo de Yemanjá em uma música nascida das entranhas dos diásporicos negros que são apagados por você e outras cantoras baianas brancas que até hoje vivem do abraço que o Racismo Estrutural proporciona e que coloca cantoras caucasianas como expoentes da música preta enquanto MARGARETH MENEZES é quase um adjunto adverbial de ausência no panteão das Afro Brancas baianas. A gente entende que esse privilégio é irresistível e poderoso, porque afinal estamos falando do estilo musical que ESCOLHEU A NOVA LOURA DO TCHAN e invisíbilzou Débora, a dançarina preta também do Tchan enquanto ainda era GERA SAMBA. Eu te entendo. Amaria poder ter essas oportunidades enquanto homem negro, mas vivo em um mundo onde as pessoas acham normal que 97% ( isso é  um cálculo real) das pessoas que julgam o carnaval carioca sejam brancas, ou seja: sei exatamente que esse mundo não é pra mim. Esse mundo é pra você, feito por pessoas como você, que se irmanam a você e fazem com que a gente que reclama pareça um bando de ressentidos, quando na verdade já abrimos mão desse protagonismo e estamos procurando outras histórias e caminhos.

Mas eu preciso me manifestar pela honra de meus ancestrais. Preciso me manifestar pela decência de ser um homem preto e macumbeiro que vive de falar sobre minha ancestralidade, porque além de todo cinismo fundamentalista, Dona Cláudia Leite tem que entender que quando ela muda uma letra, ela desrespeita a própria arte, desrespeita o compositor e sua inspiração. Isso é arrogante e egocêntrico. Imagina se um cantor de religião afro brasileira troca os versos de AVE MARIA NO MORRO para flexionar a poesia de maneira favorável a seu culto? “E o morro inteiro no fim do dia, reza uma prece, MARIA PADILHA…” . Pensa no escândalo. Pensou. Pensou nada. E não me venham com ELA CANTA O QUE ELA QUISER DO JEITO QUE ELA QUISER. Ela só pode ter essa autonomia sobre aquilo que compôs. De resto é só fundamentalismo e intolerância religiosa.

Vou falar uma coisa pra você Claudia Leite. Quer dizer, vou falar MAIS uma coisa pra você e que serve pra BABY DO BRASIL (outra equivocada e irresponsável pra  quem resolveram passar pano por causa de seus anos de carreira e fanatismo) e pra todos os evangélicos que odeiam Carnaval: SAIAM DO CARNAVAL. CARNAVAL É A FESTA DA CARNE. Eu e nenhum simpatizante de Axé entramos em igrejas cantando pra Oxalá. Façam o mesmo. Se não há convivência respeitosa e pacífica que cada um fique no seu quadrado. O que Cláudia Leite está fazendo cantando algo que não a representa e fere seus princípios? É pra pagar IPTU?  Pra manter um status rançoso? PAREM. Cada coisa em seu lugar e respeito sempre.

Que desapareça do mundo secular e ressurja em glória longe dos ouvidos mundanos.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS