25.5 C
Brasília
terça-feira, 11 junho, 2024

Candidato à Presidência do Equador é assassinado

Fernando Villavicencio, candidato presidencial do Equador, morreu nesta quarta-feira após ser vítima de um tiroteio em Quito, informou a mídia local

HispanTV – O ministro do Interior, Juan Zapata, confirmou a morte do político, baleado várias vezes no final de um ato ocorrido na escola Anderson, na capital equatoriana.

Fernando Villavicencio Valencia foi candidato a chefe de Estado pelo movimento Build List 25 (MC25), de tendência liberal-conservadora.

Vídeos com imagens do momento do ataque circularam nas redes sociais. Além disso, soube-se da detenção de um suspeito por algumas pessoas que o teriam identificado como um dos responsáveis ​​pelo ataque armado.

Quem foi Villavicencio?

Villavicencio, de 59 anos, foi deputado à Assembleia Nacional (AN) até à sua dissolução e presidiu à Comissão de Fiscalização.

Além de deputado, foi um ativista que durante a presidência de Rafael Correa foi alvo de escrutínio por suas revelações de fatos opacos ocorridos durante aquele governo.

Villavicencio denunciou uma semana antes as supostas ameaças que sua equipe teria recebido de um grupo do crime organizado. Ele estava falando sobre a banda liderada pelo pseudônimo Fito, ou seja, Los Choneros.

O ataque ocorre quando faltam 11 dias para as eleições em um país asfixiado por uma crise sem precedentes. Durante a campanha, um candidato da AN e o prefeito de Manta, um importante porto do narcotráfico, foram assassinados.

Segundo a mais recente pesquisa da Cedatos, Villavicencio foi o segundo na intenção de voto com 13,2%. Das oito candidatas presidenciais, a advogada Luisa González (26,6%), única mulher na lista e próxima do ex-presidente Rafael Correa (2007-2017) liderou os resultados da pesquisa.

Eles são seguidos pelo advogado indígena Yaku Pérez (12,5%) e pelo economista e ex-vice-presidente Otto Sonnenholzner (7,5%).

ÚLTIMAS NOTÍCIAS