29.5 C
Brasília
sexta-feira, 1 março, 2024

Bolívia reforça combate contra o contrabando de combustíveis

La Paz, 7 fev (Prensa Latina) Membros das Forças Armadas e da Polícia participam hoje em operações para neutralizar o contrabando de gasolina e diesel, disse em entrevista coletiva o ministro de Hidrocarbonetos e Energia, Franklin Molina.

“No âmbito do reforço das ações de controlo e combate ao contrabando, estamos neste momento a deslocar as nossas Forças Armadas para pontos cruciais, incluindo cidades, para evitar esta saída de combustível”, afirmou o proprietário.

Molina falou perante representantes da mídia ao lado do vice-ministro de Combate ao Contrabando, Daniel Vargas, e do diretor da Agência Nacional de Hidrocarbonetos (ANH), Germán Jiménez.

Os controles foram inicialmente ativados em postos de serviço em zonas fronteiriças como Yapacaní, Los Yungas, San José de Chiquitos, Locotal, La Paz, Cochabamba e Santa Cruz.

Segundo Molina, as longas filas em algumas bombas para comprar combustível se deviam a um descompasso na sua distribuição devido ao bloqueio rodoviário que os agricultores de Cochabamba mantiveram desde 22 de janeiro até o dia anterior.

Segundo o que expressaram os mobilizados, rejeitaram desta forma a autoprorrogação dos juízes do Supremo Tribunal Constitucional (TCP) e do Supremo Tribunal de Justiça, cujo mandato constitucional expirou em 31 de dezembro.

Segundo a pasta de Hidrocarbonetos, esta medida de pressão impediu a passagem para o oeste da Bolívia de mais de 130 navios-tanque, com cerca de 4,5 milhões de litros de combustível.

A maior parte dos bloqueios foi suspensa na última sexta-feira após um acordo da Comissão Multipartidária Bicameral para viabilizar as eleições judiciais, e os últimos oito pontos de encerramento foram abertos esta terça-feira após a promulgação da Lei Transitória 144 para Eleições Judiciais.

Segundo a ANH, devido ao excesso de demanda registrado, no caso de Santa Cruz, a capacidade de abastecimento foi ampliada de 400 mil para 600 mil litros por dia, e situação semelhante ocorreu em La Paz.

As operações também visam impedir a “revenda de gasolina”, para a qual os militares, policiais, pessoal dos Campos Petrolíferos Fiscais Bolivianos e da ANH atuarão em conjunto com a intervenção do Ministério Público.

“Cada veículo com matrícula clonada, em coordenação com a ANH, as Alfândegas e o Ministério Público, será detido, apreendido e serão instauradas as ações correspondentes contra as pessoas que cometem estes crimes de clonagem”, alertaram as autoridades.

Afirmaram que foram descobertos alguns veículos transportando cargas praticamente equivalentes a caminhões-tanque e estão trabalhando com a ANH para identificá-los.

A título de exemplo, Molina descreveu que nesta terça-feira foram detectados 18 que carregaram meio milhão de litros de combustível.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS