19.5 C
Brasília
sábado, 15 junho, 2024

Bolivia prepara lavouras para produzir biodiesel

La Paz, 16 de agosto (Prensa Latina) Os moradores de Villa Montes, no Chaco de Tarija, na Bolívia, preparam nesta quarta (16) o início dos trabalhos para alcançar uma produção de 17.000 hectares de macororó, necessários para alimentar uma usina de processamento de biodiesel.

“Hoje é um dia importante, a industrialização chega a Villa Montes com o lançamento da pedra fundamental da nossa fábrica de extração de óleo vegetal e aditivos de macororó e pinhão-manso”, disse na véspera o presidente Luis Arce no início dos trabalhos.

Arce reiterou que este complexo exigirá o cultivo de 17.000 hectares de macororó, sendo que apenas para a fase de testes serão necessários 5.000, como parte da política de industrialização por substituição de importações do governo nacional.

Nesse sentido, o dignitário exortou os produtores a se empenharem no plantio dessas plantas que exigem pouca água a partir de agora.

Ele insistiu que é um trabalho muito necessário para promover o desenvolvimento produtivo do país e das áreas que chamou de “produtoras”.

A nova fábrica ocupará uma área de 7,2 hectares e terá capacidade para processar 200 toneladas diárias de macororó e pinhão-manso.

As autoridades estimam que a sua construção esteja concluída em maio de 2024, data em que poderá fornecer a matéria-prima necessária para sintetizar o biodiesel.

Arce lembrou que a região do Chaco como bastião energético se caracteriza por ser a reserva do gás boliviano, ao qual se soma agora sua condição de fonte fundamental na produção de biodiesel no país andino-amazônico.

No âmbito da sua política de industrialização com o objetivo de substituir as importações, o Governo do Presidente Arce prevê construir 130 fábricas até ao final de 2025 com um desembolso de três mil e 600 milhões de dólares.

Durante o ato em Villa Montes, também foi anunciada a construção de um complexo de beneficiamento de pescado e outro de mel naquele povoado de Tarija.

“Três usinas merecidas porque vocês são produtores, a gente só entende as áreas produtoras para montar plantas industriais”, esclareceu o presidente.

Arce insistiu em sua intervenção perante os moradores sobre a necessidade de produzir macororó e jatropha, pois essa será a matéria-prima que os Yacimientos Petrolíferos Fiscales Bolivianos exigirão para gerar biodiesel e deixar de importar combustíveis fósseis.

Segundo as autoridades, a nova planta industrial vai beneficiar mais de 1.100 produtores agrícolas deste território, com empregos diretos e indiretos, tanto na fase de construção como após o início das operações.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS