21.5 C
Brasília
domingo, 23 junho, 2024

Bolívia comemora 240 anos do nascimento de Simón Bolívar

La Paz (Prensa Latina) O ministro das Relações Exteriores da Bolívia, Rogelio Mayta, transmitiu nesta segunda (24)uma saudação do presidente Luis Arce aos participantes da cerimônia de entrega de oferendas de flores diante do monumento ao Libertador Simón Bolívar nesta cidade.

“Tal mensagem é a homenagem de todo o povo boliviano porque nesta data em que se comemora o 240º aniversário do nascimento de Bolívar, não se pode, de outra forma, recordar um homem que marcou com sua presença a história de nossa América”, afirmou durante o ato na Plaza Venezuela no centro de La Paz.

O ministro das Relações Exteriores garantiu que cabia a Bolívar realizar uma das empresas titânicas de seu tempo, lutar pela independência dessas terras e de seus povos.

Ele destacou que, desde a juventude jurando entregar sua vida à liberdade, liderou centenas de batalhas, sofreu derrotas e também conquistou inúmeras vitórias para chegar ao momento culminante de dizer que havia deixado uma América livre do colonialismo espanhol.

“Bolívar também teve uma lucidez e inteligência que chamam a atenção porque em seu tempo já pensava em uma América unida, em uma grande pátria – enfatizou -, como fórmula para conseguir dias melhores para nossos povos, como forma de fortalecer nossas economias e tornar-nos mais fortes contra qualquer influência ou agressão estrangeira.

Fez com que esse sonho não pudesse se consolidar em vida, e séculos depois continua sendo um desafio para as atuais gerações de latino-americanos.

Ele comentou que essa soberania depende da liberdade econômica e tecnológica.

“Hoje ratificamos nosso compromisso de continuar perseguindo o sonho de liberdade de Bolívar”, concluiu a manchete do ato que também contou com a presença do ministro de Minas e Metalurgia, Marcelino Quispe.

Esta comemoração contou com a presença de vice-ministros e outras autoridades governamentais nacionais, departamentais e municipais; altos comandantes militares e policiais, líderes de movimentos sociais e uma ampla representação do corpo diplomático credenciado.

O General de Divisão Ríchard Riera, Adido de Defesa da embaixada venezuelana na Bolívia, por sua vez, destacou que em 24 de julho de 1823, o Exército Bolivariano deu ao Libertador a libertação da pátria em seu 40º aniversário com sua vitória no Lago Maracaibo, que é por que hoje também marca o bicentenário dessa força.

Ele destacou que a unidade cívico-militar garante hoje a independência da Venezuela.

César Trómpiz, embaixador venezuelano no Estado Plurinacional da Bolívia, por sua vez, reafirmou que 240 anos depois de seu nascimento, Bolívar continua clamando pela união dos povos “da nossa América”.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS