29.5 C
Brasília
sexta-feira, 1 março, 2024

Berlusconi e Merkel podem vir a ser mediadores no conflito ucraniano

© Sputnik / Aleksey Druzhinin

O líder do partido Força Itália, o ex-primeiro-ministro italiano Silvio Berlusconi, afirmou que poderia atuar, junto com a ex-chanceler alemã Angela Merkel, como mediador na resolução do conflito na Ucrânia.

“Penso que Merkel, comigo ou por conta própria, pode tentar mediar as negociações com [o presidente russo Vladimir] Putin. Com ela, eu poderia tentar persuadi-lo”, disse Berlusconi ao canal de televisão Rai1.

Ao falar sobre as sanções impostas contra a Rússia, Berlusconi manifestou “pesar e decepção” pelo fato de Moscou fortalecer “o totalitarismo comunista da China” em vez de se aproximar da União Europeia.
O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan (à esquerda), e o presidente russo, Vladimir Putin, durante encontro em Sochi, Rússia, 5 de agosto de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 26.08.2022

Panorama internacional

O que quer a Turquia com sua mediação no conflito na Ucrânia?

O ex-primeiro-ministro sublinhou que não vê a Rússia sofrer grandes perdas econômicas por causa das sanções.
“Me parece que é absolutamente capaz de resistir às sanções e ao teto de preços do gás”, disse Berlusconi.
No início de abril, Berlusconi afirmou ter ficado decepcionado com as ações do presidente russo Vladimir Putin em meio aos acontecimentos na Ucrânia.
“Fiquei profundamente decepcionado e magoado com o comportamento de Vladimir Putin, que assumiu uma responsabilidade enorme ante todo o mundo”, disse o político ao discursar em um evento do partido em Roma.
O presidente francês Emmanuel Macron (à direita) e o chanceler alemão Olaf Scholz participam da conferência no Palácio Mariinsky, Kiev, a 16 de fevereiro de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 23.06.2022

Panorama internacional

Na Europa já não há políticos como Helmut Kohl e Jacques Chirac, diz ex-presidente russo

ÚLTIMAS NOTÍCIAS