25.5 C
Brasília
domingo, 26 maio, 2024

Assembleia Constituinte recebe proposta de reconversão monetária

Caracas. AVN

O presidente do Banco Central da Venezuela (BCV), Ramón Lobo, apresentou nesta terça-feira a proposta de reconversão monetária para a Comissão Permanente de Economia Diversificada e Produtiva da Assembleia Nacional Constituinte (ANC).

Lobo destacou que o documento “expressa os elementos conceituais e de implementação deste importante processo de reconversão monetária, que tem por objetivo facilitar as transações econômicas e comerciais”.

Destacou ainda que se trata de uma medida para enfrentar a guerra econômica, que ataca a economia do  país “para tentar submeter a vontade do povo”.

“Queremos que a Asssembleia Nacional Constituinte, através da Comissão de Economia, possa conhecer todos os alcances, e dessa maneira, contribuir com os elementos necessários para sua difusão e divulgação, e que possa fortalecer a implementação desta proposta, que se trabalha de forma coordenada com o  Executivo Nacional”, disse Lobo.

Já o presidente da Comissão de Economia, Eduardo Piñate, disse que a ANC vai iniciar uma primeira etapa de informação do novo cone monetário aos constituintes, e depois será realizado um processo de debate e de divulgação, através dos comitês de constituintes do país.

No dia 22 de março, o presidente da República Nicolás Maduro, assinou o decreto de reconversão monetária, que entra em vigência no dia 4 de junho, e que inclui a retirada de três zeros da moeda, e um novo cone monetário, como medidas para fortalecer o bolívar, proteger a economia nacional, dinamizar a disponiblidade de dinheiro em espécie no país, facilitar as transações e simplificar os pagamentos.

O novo cone monetário, que será chamado Bolívar Soberano, terá moedas de 0,5 centavos e um bolívar assim como notas de 2, 5, 10, 20, 50, 100, 200 e 500 bolívares, que terão todos os sistemas e elementos de identidade e segurança necessários para evitar falsificações.

O governo venezuelano trabalha com o Ministério de Relações Interiores, Justiça e Paz para evitar o contrabando das novas notas para a Colômbia.

As autoridades do BCV vão ser reunir com representantes dos bancos públicos e privados, além de empresas, para realizar o processo de adequação tecnológica.

Também serão realizadas campanhas informativas sobre o processo de reconversão monetária e a incorporação das novas notas e moedas.

Este processo vai contribuir para defender a moeda nacional do ataque financeiro realizado por setores empresariais, e combater a inflação induzida e a especulação no mercado ilegal de divisas.

Fotos: Zurimar Campos, AVN

ÚLTIMAS NOTÍCIAS