Brasília, 16 de maio de 2022 às 06:49
Selecione o Idioma:

Colômbia

Postado em 03/10/2016 5:59

“As Farc mantém a vontade de paz”, diz comandante

.

Timochenko reitera compromisso com a paz (Sembrar Paz)
Timoleón Jiménez, o Timochenko, fez um pronunciamento curto, horas depois de o resultado ter sido divulgado. “”As FArc [Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia – Exército do Povo] lamentam profundamente que o poder destrutivo dos que semeiam ódio e rancor tenham incluído na opinião da população colombiana”, disse o dirigente.
Isso porque, a campanha pelo “não” endossada pelo ex-presidente Álvaro Uribe foi massivamente disseminada nas principais cidades do país e apenas 37% da população se encaminhou aos locais de votação para exercer este direito. A extrema direita é o setor mais interessado na guerra que já dura 52 anos.
Timochenko disse que o resultado do plebiscito que “o desafio como movimento político é maior e requer mais força para construir a paz estável e duradoura”.
Reafirmou, porém, que as Farc “mantêm a vontade de paz e reitera a disposição de usar somente a palavra como arma de construção para o futuro”.
“Ao povo colombiano que sonha com a paz, que contem conosco. A paz triunfará”, finalizou o líder histórico da organização guerrilheira.
Seguirei buscando a paz”

O presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, também reiterou que continuará defendendo o Acordo de Paz e o fim do conflito. Em pronunciamento oficial, transmitido em cadeia nacional, afirmou: “seguirei buscando a paz até o último minuto de meu mandato, porque esse é o caminho para buscar um melhor caminho para nosso país”.
O presidente anunciou também que nesta segunda-feira (3) vai convocar todos os líderes políticos do país, principalmente os responsáveis pelo “não”, para decidir “qual o caminho para que a paz que todos queremos seja possível e saia mais fortalecida dessa situação”.
Disse ainda que o acordo de cessar-fogo com a guerrilha segue vigente e a equipe de negociação do governo deve seguir para Havana já nesta segunda-feira (3) para levar o resultado do plebiscito aos representantes da guerrilha.
Do Portal Vermelho, com agências

Comentários: