19.5 C
Brasília
quinta-feira, 22 fevereiro, 2024

Argentina: Covid-19 volta a crescer em algumas províncias com quarentena flexível

Buenos Aires, 14 mai (Prensa Latina) Com uma quarentena flexível em várias províncias e rigorosa nesta capital e sua irmã província de Buenos Aires, os casos por Covid-19 aumentam hoje na Argentina, onde nas últimas 24 horas se reportaram 316 novos contágios.

Ainda que a cifra esteja muito distante de outras mais altas em países irmãos como Chile e Brasil, a verdade é que alguns se preocupam, principalmente com o aumento de contágios nas regiões vulneráveis da capital, que já registra 759 casos positivos, que representam mais de 20% de todos os da cidade.

Justamente quando começou a abertura lenta do comércio na passada terça-feira na capital, se reportaram por dois dias consecutivos recorde de casos no país, ainda que a um ritmo esperado se levarmos em consideração que há mais movimento nas ruas, apesar daquarentena estar vigente até o dia 24 de maio.

Segundo as cifras mais recentes, na Argentina são 6.879 casos testaram positivos à pandemia, deles já 2.266 foram registrados, 329 morreram e a volta à vida depois de quase dois meses de isolamento em algumas províncias é quase total.

Enquanto as autoridades continuam aplicando os testes nas estações de trens para encontrar possíveis casos assintomáticos que poderiam ter gerado anticorpos, por outro lado são realizados testes principalmente nas regiões mais vulneráveis.

Simultaneamente, continuam sendo reforçados em todas as províncias os hospitais e estão prontos vários centros modulares para enfrentar um possível pico este mês ou no próximo.

Amanhã, a companhia Aerolíneas Argentinas realizará uma vez mais o voo à China, para chegar a um total de 17 com o objetivo de trazer ao país insumos sanitários críticos para a luta contra a pandemia e continuam sendo construídos de maneira local vários kits com máscaras e capacetes protetores para o pessoal da saúde.

O combate contra o vírus é palpável nas ruas, onde há mais circulação, mas muitos cumprem estritamente as medidas ditadas pelo Executivo.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS