Brasília, 8 de agosto de 2022 às 17:43
Selecione o Idioma:

Internacional

Postado em 01/08/2022 11:02

Argélia: Presidente reafirma seu desejo de fortalecer o Estado e preservar a dignidade dos argelinos

.

ARGEL (APS) – O Presidente da República, Abdelmadjid Tebboune, manifestou o desejo de fortalecer ainda mais o Estado para preservar a segurança e inculcar os valores da democracia, afirmando que a luta que está travando visa preservar a dignidade dos argelinos .
Durante a sua entrevista periódica à imprensa nacional, transmitida na noite de domingo, o Presidente Tebboune declarou que “a democracia e a segurança cidadã só existem num Estado poderoso”, acrescentando que “um Estado fraco é incapaz de proteger os seus cidadãos”.
A luta que tem vindo a travar, desde a sua eleição para Presidente da República, através das várias reformas empreendidas, é a de “restaurar ou mesmo preservar a sua dignidade para os argelinos”, explicou.
A este respeito, prometeu aumentar os salários e o subsídio de desemprego a partir do próximo ano, com base num estudo aprofundado para que não haja inflação, anunciando “a possibilidade de aumentar os salários numa única decisão ou gradualmente ao longo do ano”.
O Presidente da República indicou que as capacidades da Argélia permitem recuperar, a médio prazo, o valor do dinar, salientando a importância de tomar “medidas precisas para evitar a criação de inflação”.
Ao abordar os fatores do poder estatal que está trabalhando para consolidar, o presidente Tebboune destacou “o sucesso retumbante” do último JM em Oran e do desfile militar organizado pelo Exército Nacional Popular (ANP) por ocasião do 60º aniversário da recuperação da soberania nacional, afirmando que agora na Argélia fazemos a comparação entre o que havia antes destes dois eventos e depois da sua organização.
A organização do desfile militar pela Argélia é de facto um “regresso à fonte”, argumentou o Chefe de Estado, afirmando que a Argélia é um “grande país de África e influente no Mediterrâneo”.
Chamando a ANP de “exército pacífico que nunca se desviou dos padrões internacionais”, sublinhou que “o nosso exército é forte e o povo argelino, tão forte, goza de orgulho nacional e continua comprometido com a unidade nacional”.
Questionado sobre a remodelação ministerial, o Presidente Tebboune disse que “a data e a extensão desta remodelação serão conhecidas oportunamente”, sustentando que “o mais importante é traduzir os nossos compromissos no terreno e ter um governo à altura das aspirações do povo”.
A escolha dos ministros “não obedece à fidelidade, mas ao critério da competência, que no entanto exige experiência e eficiência”, acrescentou o presidente Tebboune.
E garantir, de vez em quando, que o Estado puna todos aqueles que favorecem a proliferação de burocracia dentro da administração para dificultar o seu funcionamento.
Dirigindo-se à iniciativa do encontro, o Presidente da República afirmou que se traduzirá num projecto de lei apresentado ao parlamento e incidirá sobre os argelinos desorientados que perceberam que o seu futuro estava assegurado no seu país e não com alguns partidos estrangeiros.
Afetará também aqueles que “preferiram afastar-se por terem sido maltratados”, explicou, afirmando que as tentativas de certos partidos hostis à Argélia “estarão fadadas ao fracasso perante este povo valente e resistente”.
O presidente Tebboune afirmou também que não havia prisioneiros de consciência na Argélia, acrescentando que a liberdade de expressão é garantida no país, desde que exercida em ambiente civilizado.
Sobre a questão do ensino da língua inglesa no ciclo primário, o Chefe de Estado assegurou que esta decisão seria aplicada a partir do próximo ano letivo, de forma a permitir que o país “se imponha internacionalmente”.

 A Argélia pretende conquistar um lugar de eleição no seu espaço africano 

No registo económico, o Presidente da República afirmou que a Argélia cumpria, em grande medida, as condições para aderir ao BRICS, grupo em que o país tem interesse, na medida em que constitui uma “potência económica e política”.
Nesse sentido, ele destacará a preocupação permanente da Argélia em atrair investimentos estrangeiros de países irmãos e amigos como Catar, Turquia, Arábia Saudita e alguns países considerados aliados estratégicos, como Itália e outros.
O Chefe de Estado afirmou, no mesmo contexto, que a Argélia pretende conquistar um lugar de eleição no seu espaço africano, nomeadamente através da revisão de algumas lacunas e do lançamento de vários projetos importantes de integração africana. , considerando que o país “é africano por seu destino e por sua extensão”.
Do lado da energia e exploração petrolífera, o Presidente Tebboune elogiou o espírito patriótico e a vontade dos trabalhadores da Sonatrach, que permitiram à Argélia restabelecer as suas capacidades energéticas, anunciando, ao mesmo tempo, outras grandes descobertas.
Quanto ao setor agrícola, o presidente Tebboune disse que “está atualmente em processo de reestruturação e melhoria”, considerando que a Argélia conseguiu alcançar a autossuficiência em certas matérias como trigo duro e cevada, produtos descritos como uma “arma letal”.
Em relação ao setor habitacional, o Presidente da República afirmou que as fórmulas atualmente propostas serão mantidas sem descartar a possibilidade de a Secretaria de Habitação propor uma nova fórmula ao governo.
Estes passos enquadram-se, continua, no quadro dos esforços que visam a erradicação definitiva da crise habitacional na Argélia “na preservação da dignidade dos argelinos”.
“Não podemos tolerar que os filhos da Argélia dos Chouhada vivam em habitações precárias”, martelou.
“Lamentamos ver pessoas, em conluio com certos funcionários, ocupando favelas que demolimos e realocamos os proprietários em casas decentes”, lamentou Tebboune.
E para anunciar, sobre este assunto, a preparação em curso de uma nova lei punindo severamente aqueles que se apoderarem de terras do Estado.
“Democracia e segurança cidadã só existem em um estado forte, no sentido de que um estado fraco não será capaz de proteger seus cidadãos e se curvará à força de outros”, disse o presidente Tebboune.

A Argélia trabalha para unificar as fileiras árabes

A nível internacional, o Presidente Tebboune afirmou que a Cimeira Árabe planeada para a Argélia no início de Novembro próximo será coroada de sucesso, sustentando que a Argélia está a trabalhar para unificar as fileiras árabes, e que a participação da Síria neste encontro crucial é objecto de consulta entre os países árabes.
Quanto à questão palestina, o presidente da República revelou que a Argélia está trabalhando para sediar uma reunião das facções palestinas antes da cúpula árabe, ressaltando que o país “goza de toda a credibilidade” para poder reconciliar as facções palestinas.
Quanto às relações entre a Argélia e a Tunísia, afirmou que o presidente eleito da Tunísia, Kaïs Saïed, representava legitimidade na Tunísia, argumentando que a Argélia estava lidando com legitimidade e continuaria a apoiar a vizinha Tunísia “sem qualquer interferência em seus assuntos internos”.
Referindo-se à situação na Líbia, o Chefe de Estado questionou-se sobre a existência de uma vontade real de resolver a crise neste país, destacando partidos que trabalham para agravar as tensões cada vez que este país se aproxima do fim.
E reiterar o apoio da Argélia ao partido legítimo na Líbia e às decisões do Conselho de Segurança. “Somos pela legitimidade e a favor das resoluções do Conselho de Segurança. Apoiamos a iniciativa de unificar as fileiras dos irmãos líbios bem como a solução interlíbia longe de qualquer interferência”, explicou o Presidente da República.
Enfrentando a crise no Mali, o Presidente Tebboune afirmou que a resolução dos problemas que este país enfrenta exigirá a implementação do acordo de paz e reconciliação resultante do processo de Argel, manifestando a disponibilidade da Argélia para prestar assistência material e organizar encontros na Argélia ou no Mali entre beligerantes malianos.
A este respeito, dirá que os arquivos dos cidadãos argelinos agredidos em Gao (Mali) e dos diplomatas raptados, dois dos quais morreram, ainda não estão classificados, sublinhando que os autores terão de responder pelos seus atos.
Do lado esportivo, o Presidente Tebboune enfatizou a necessidade de apoiar e apoiar atletas talentosos em antecipação aos próximos eventos esportivos.
Ele estimou que “a Argélia já está pronta para receber competições regionais e até internacionais”, dada a infraestrutura e centros de hospedagem que possui, investimentos que serão reforçados por novas estruturas em todas as regiões do país.

 

O texto original encontra-se em www.aps.com

Comentários: