21.5 C
Brasília
quarta-feira, 12 junho, 2024

“Aprendam a fazer jornalismo ou fechem”, diz Cynara Menezes para a CNN

Cynara Menezes (Foto: Felipe Gonçalves)

Jornalista ficou indignada com o pedido envergonhado de desculpas da emissora.

247 – A jornalista Cynara Menezes, editora do Socialista Morena, ficou indignada com a postura da CNN, que espalhou mentiras para desgastar o presidente Luiz Inácio Lula Silva, sobre um falso investimento ucraniano que teria sido cancelado após declarações sobre a guerra, e depois atribuiu sua fake news ao governo de São Paulo, isentando-se de responsabilidade sobre o crime de imprensa. Confira e saiba mais:

Cada vez mais próxima da extrema direita, a CNN Brasil divulgou nesta semana uma fake news sobre um suposto investimento de US$ 50 bilhões da Ucrânia no Brasil, por meio da fabricação de aeronaves da estatal ucraniana Antonov em solo brasileiro

A reportagem de Caio Junqueira – apresentada pelo âncora William Waack em telejornal noturno da CNN – afirma que a empresa busca levar seus negócios para fora da Europa por causa da guerra entre Rússia e Ucrânia. O Brasil, segundo o jornalista, era um destino desejado pela Antonov devido suas posições de neutralidade diante de conflitos mundiais. “Mas isso mudou. Depois das declarações polêmicas do presidente Lula, representantes da empresa aqui no Brasil suspenderam todas as negociações”, diz Junqueira.

Acontece que a Ucrânia está em guerra há mais de um ano e tem buscado cada vez mais ajuda internacional para resistir às investidas russas. Em 2022, o PIB ucraniano caiu 29,1% na comparação com o ano anterior, de acordo com dados do Comitê Estatal Ucraniano para as Estatísticas. A Ucrânia está evidentemente quebrada e dependente de auxílio, principalmente da Otan, para suprir o básico. Portanto, nenhum veículo sério de comunicação publicaria a “informação” de que um país neste cenário investiria um montante de US$ 50 bi no Brasil.

A mentira contada pela CNN encontrou eco no Twitter do deputado federal bolsonarista Nikolas Ferreira (PL-MG), que usou o conteúdo da emissora para atacar o governo Lula (PT).

ÚLTIMAS NOTÍCIAS