21.5 C
Brasília
quarta-feira, 12 junho, 2024

Após a vitória de Arevalo, cresce o apoio às eleições na Guatemala

Cidade da Guatemala, 21 de agosto (Prensa Latina) Enquanto milhares ainda hoje comemoram a vitória do representante do partido Movimiento Semilla, Bernardo Arévalo, cresce o apoio à decisão manifestada nas urnas do segundo turno eleitoral na Guatemala.

“Os cidadãos demonstraram mais uma vez que o sistema de votação funciona e que a democracia é um dos pilares da nação”, afirmou a Comissão Coordenadora das Associações Agrícolas, Comerciais, Industriais e Financeiras (Cacif).

O grupo empresarial manifestou-se satisfeito com o ambiente pacífico e participativo que caracterizou o escrutínio presidencial e espera que a prioridade seja sempre um país melhor.

A Associação de Exportadores da Guatemala (Agexport) aplaudiu os que compareceram às urnas em um ordeiro partido cívico e pelo respeito ao processo eleitoral democrático.

Destacou o trabalho das autoridades eleitorais e nacionais para garantir que o processo eleitoral decorreu no quadro da lei, bem como felicitou a dupla vencedora.

A Câmara da Indústria agradeceu profundamente aos milhares de cidadãos que voluntariamente participaram das Juntas Eleitorais neste território centro-americano.

Outras entidades também defenderam os resultados, quando a ex-candidata da Unidade Nacional de Esperança (UNE), Sandra Torres, descartou a decisão em sua terceira derrota consecutiva nestas instâncias.

O Comitê Executivo de seu grupo declarou em comunicado “sessão permanente devido aos últimos acontecimentos registrados com a contagem dos votos no dia das eleições em 20 de agosto”.

Assegurou que dará “uma posição definitiva quando os resultados forem esclarecidos com total transparência, como temos exigido quanto à utilização do Sistema de Transmissão de Resultados Preliminares Eleitorais (TREP)”.

Poucas horas depois da votação, a UNE interpôs recurso contra o Tribunal Superior Eleitoral por alegadas ameaças e dúvidas sobre a introdução dos dados naquela plataforma digital, o que foi aceite pelo Tribunal Constitucional.

Nas palavras proferidas no hotel Las Américas desta capital ao saber da vitória, Arévalo reconheceu Torres, com quem, disse, partilha diferentes abordagens na política.

“Mas garantimos a ela e a seus eleitores que seus direitos de cidadania serão protegidos e promovidos sem qualquer distinção no governo da nova primavera”, enfatizou o ex-diplomata.

“Hoje aceitamos com muita humildade esta vitória que o povo da Guatemala nos deu”, disse o acadêmico, sociólogo de profissão, junto com sua companheira de chapa, Karin Herrera.

Arévalo, por quem milhares de simpatizantes esperavam do lado de fora do hotel gritando Sim, poderíamos e bandeiras do país, recebeu as felicitações dos presidentes de El Salvador, Nayib Bukele, e do México, Andrés Manuel López Obrador.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS