26.5 C
Brasília
segunda-feira, 27 maio, 2024

ANP chama veto dos EUA no Conselho de Segurança contra a Palestina de “imoral”

Moahmmed Abed / AFP

HispanTV – A Autoridade Nacional Palestiniana (ANP) descreveu como “imoral e injustificado” o veto dos Estados Unidos à adesão da Palestina como membro de pleno direito da ONU.    

Através de uma declaração, a ANP condenou veementemente a decisão dos Estados Unidos de usar o seu poder de veto no Conselho de Segurança das Nações Unidas (CSNU) , impedindo efectivamente a Palestina de deixar de ser um mero observador e de obter adesão plena às Nações Unidas.

Da mesma forma, a Presidência palestiniana destacou que a política agressiva dos EUA “em relação à Palestina, ao seu povo e aos seus direitos legítimos” representa uma agressão óbvia contra o “Direito Humanitário Internacional” que causará a continuação da guerra genocida israelita contra o povo palestiniano na Faixa de Gaza. . Gaza e Cisjordânia. “Isso empurra ainda mais a região para o limite, à luz da contínua ocupação israelense”, acrescentou.

Além disso, enfatizou que a medida do país norte-americano mostra as contradições da política dos EUA porque, por um lado, apoia a solução de dois Estados para acabar com o conflito e ao mesmo tempo impede que a entidade internacional implemente esta solução através dos seus repetidos uso do veto no CSNU contra a Palestina e os seus direitos legítimos.

Os Governos do Brasil e da Colômbia manifestaram o seu apoio à admissão da Palestina como membro pleno das Nações Unidas (ONU).

Aludindo ao reconhecimento da Palestina por 139 países do mundo, observou que este veto é a prova de que o mundo inteiro está unido “atrás dos valores da verdade, justiça, liberdade e paz que a causa palestiniana representa, e contra a contínua crimes da ocupação.”

A ANP deixou claro que “alcançar a paz, a segurança e a estabilidade” na região da Ásia Ocidental e no mundo “depende da implementação de resoluções de legitimidade internacional, do fim da ocupação israelita das terras do Estado da Palestina e do reconhecimento dos direitos legítimos do povo palestino.”

Desde 1948, os Estados Unidos vetaram mais de 40 resoluções da ONU em apoio ao seu aliado, Israel, na região da Ásia Ocidental.

O apoio incondicional dos Estados Unidos à entidade sionista fez com que o regime de Tel Aviv desencadeasse uma guerra genocida contra os palestinianos na Faixa de Gaza, até agora quase 34.000 palestinianos perderam a vida devido à agressão israelita.  

ÚLTIMAS NOTÍCIAS