21.5 C
Brasília
quarta-feira, 12 junho, 2024

ALBA-TCP: Cuba não é patrocinadora, mas vítima do terrorismo

Manifestantes em frente à embaixada de Cuba em Washington exigem a retirada de Cuba da lista de patrocinadores do terrorismo, 25 de setembro de 2023. (Foto: EFE)

HispanTV – A ALBA-TCP condena o ataque contra a embaixada cubana em Washington e censura os EUA por darem impunidade aos terroristas que cometem tais atos violentos.

Os Estados membros da Aliança Bolivariana para os Povos da Nossa América-Tratado Comercial Popular (ALBA-TCP) condenaram, em comunicado, o ataque perpetrado domingo à sede diplomática cubana e criticaram os Estados Unidos por não cumprirem a sua obrigação para proteger a legação, de acordo com a Convenção de Viena.

O bloco lembrou que a embaixada de Cuba em Washington também sofreu um ataque terrorista em abril de 2020, quando um indivíduo disparou uma espingarda contra a fachada da missão, e disse que estes atos de violência emanam da impunidade que lhes foi concedida pelo Governo dos EUA. aos grupos terroristas antiguanos que operam no país norte-americano.

Cuba é vítima do terrorismo, patrocinado pelos EUA

Os membros desta plataforma de integração latino-americana rejeitaram mais uma vez na sua nota a inclusão de Cuba na chamada lista de países ‘patrocinadores do terrorismo’ dos Estados Unidos, quando é vítima de ataques terroristas, e exigiram que seja removido ao mesmo tempo.

O ministro das Relações Exteriores de Cuba, Bruno Rodríguez, divulgou nesta terça-feira as imagens das câmeras de segurança que mostram o momento em que o terrorista fica em frente à embaixada da ilha, acende calmamente dois coquetéis Mocotó e os atira contra a fachada do prédio. missão. O vídeo foi entregue às autoridades dos EUA.

A China e a Rússia juntaram-se à condenação internacional do ataque, instando o governo dos EUA a investigar urgentemente o incidente e a punir os responsáveis.

“Apelamos aos EUA para que estabeleçam a verdade, resolvam o caso o mais rapidamente possível e tomem medidas eficazes para garantir a segurança das instituições diplomáticas e do seu pessoal”, disse o porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros chinês, Wang Vendi, na terça-feira.

Ataque à embaixada cubana nos EUA, silêncio cúmplice

Por sua vez, a porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da Rússia, Maira Zajarova, denunciou que este não é o primeiro ataque contra a missão diplomática cubana em Washington e indicou que na nação norte-americana “continua a ser cultivado um ambiente de ameaças contra o governo da Ilha da liberdade”.

Na segunda-feira, dezenas de pessoas manifestaram-se em frente à sede diplomática cubana em Washington para exigir a retirada da nação insular da chamada lista de países patrocinadores do terrorismo, uma ação unilateral tomada pelos Estados Unidos no meio das suas hostilidades contra La Havana.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS