Brasília, 9 de junho de 2021 às 00:12
Selecione o Idioma:

Papo do Dia:

Sem Titulo

Postado em 24/12/2015 6:16

‘A cobiça de Wall Street está destruindo a economia dos EUA’

.

No terceiro debate dos democratas, Bernie Sanders acusou a adversária, Hillary Clinton, de obter respaldo empresarial em campanha

Opera Mundi

Os pré-candidatos democratas à presidência dos Estados Unidos participaram de um debate na noite de sábado (19/11) em que se uniram para criticar o republicano Donald Trump, mas também trocaram algumas farpas entre si.

Um dos temas que gerou polêmica foi quando o pré-candidato e senador pelo estado de Vermont, Bernie Sanders, acusou sua adversária, Hillary Clinton, de obter respaldo empresarial em sua campanha política.

“A cobiça de Wall Street está destruindo nossa economia”, afirmou Sanders. “É uma ameaça para a economia norte-americana e tem muito poder político”, acrescentou, dirigindo-se à rival.

Durante o debate, Hillary foi questionada pelo moderador David Muir, da emissora ABC News, por sua relações com diretores das grandes empresas em com as quais mantinha contato há anos.

“As corporações dos Estados Unidos devem amar Hillary Clinton?”, questionou o moderador. A ex-secretária de Estado (2009-2013) respondeu, em tom de ironia: “todo mundo deveria”.

Em seguida, Sanders aproveitou a resposta da adversária e afirmou que se for presidente não obteria o afeto das grandes empresas e muito menos de Wall Street — uma crítica que arrancou aplausos do público.

“Recebo muito mais doações de estudantes e professores que de Wall Street”, defendeu-se a candidata para reivindicar suas políticas sociais.

Esta não é a primeira vez que Sanders e Hillary entram em uma discussão acalorada. No debate dos democratas de 14 de novembro, o senador de Vermont afirmou que a “desastrosa” invasão dos EUA ao Iraque em 2002 — sustentada à época por Hillary — levou a um vácuo de poder no Oriente Médio que favoreceu a criação de grupos como Estado Islâmico.

O terceiro debate democrata também contou com a presença do ex-governador de Maryland, Martin O’Malley. Entretanto, Hillary e Sanders centralizam as discussões e concentram a esmagadora maioria das intenções de votos para as primárias: segundo uma pesquisa encomendada pela Fox News de 16/12, 56% dos norte-americanos dizem que pretendem votar nela, ao passo que 34% afirmam que Sanders é o seu candidato.

Comentários: