21.5 C
Brasília
quarta-feira, 12 junho, 2024

A autoproclamada república de Nagorno-Karabakh anuncia sua dissolução

Refugiados arménios fogem de Nagorno-Karabakh.

HispanTV – A autoproclamada república de Nagorno-Karabakh deixa de existir em 1 de janeiro de 2024, devido à “grave situação política e de segurança” que atravessa.

O presidente da região, Samvel Shahramanián, assinou hoje quinta-feira um decreto para a sua dissolução, a fim de garantir a segurança física e os interesses vitais da população da zona, depois de o Azerbaijão ter reintegrado o território na sequência da ofensiva militar.

A medida prevê a dissolução de todas as instituições estatais e suas organizações subordinadas a partir da data especificada, após a entrada em vigor deste decreto, o povo deve decidir permanecer em Nagorno-Karabakh ou regressar à Arménia, tendo em conta as condições de reintegração apresentado pelo Azerbaijão.

Conforme noticiado esta quinta-feira pelas autoridades arménias, mais de 65 mil residentes mudaram-se para este país depois de o Azerbaijão ter assumido o controlo da área, o que representa mais de metade da população que o território tinha antes da ofensiva de Baku.

Os presidentes do Irão e da Rússia apelam a uma solução pacífica para a crise na disputada Karabakh e rejeitam qualquer interferência estrangeira nos assuntos da região.

Em 19 de setembro, o Azerbaijão iniciou a sua “operação antiterrorista” contra os separatistas arménios, depois de acusar a Arménia de acumular tropas na área. Yerevan classificou o plano azeri como uma “agressão em grande escala contra o povo” de Nagorno-Karabakh.

Um dia depois, as autoridades da região concordaram com um cessar-fogo com o Azerbaijão com a mediação das forças de manutenção da paz russas, para o qual Baku anunciou a cessação das suas “medidas antiterroristas”.

Localizada no sul do Cáucaso, a área sem litoral de Nagorno-Karabakh tem sido o ponto focal de uma disputa entre o Azerbaijão e a Arménia há mais de três décadas.

Desde que conquistaram a independência da antiga União Soviética em 1991, os dois países vizinhos travaram duas guerras, em 1994 e 2020, pelo território montanhoso.

Karabakh, embora reconhecida pela comunidade internacional como parte do Azerbaijão, tem uma população predominantemente arménia que se tem oposto persistentemente ao governo azeri desde a guerra separatista de 1994.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS