27.5 C
Brasília
sábado, 20 abril, 2024

24 de fevereiro: aniversário da Guerra Necessária

Héctor Ramírez, Consejero da Embaixada da Cuba em Brasil

O dia 24 de fevereiro de 1895 é uma data fundamental na história de Cuba, quando ocorreu o início da Guerra Necessária e o reinício do processo de independência cubano.

A guerra era certamente necessária na medida em que era a única opção viável para um país que precisava ser livre, independente e soberano. É uma colônia constantemente sangrada pela metrópole espanhola e não pode aspirar nem ao desenvolvimento nem à prosperidade de seus filhos.

Há um segundo elemento que é importante: a existência dos Estados Unidos e seu desejo insaciável de expansão.  José Martí, o organizador da guerra, foi uma das primeiras figuras a perceber isso e afirmou que a independência de Cuba é essencial para evitar que a ilha seja anexada aos Estados Unidos. Por isso, em sua conhecida carta a Manuel Mercado ele diz: “com a independência de Cuba, eles impedem a propagação (…) os Estados Unidos e caem, com mais força, em nossas terras na América”. Desencadear e vencer a guerra pela independência impedirá que qualquer intenção de anexação seja consumada.

Além disso, a própria guerra foi um fator determinante para a consolidação da nacionalidade cubana, a individualidade de Cuba como povo, o fortalecimento do senso de patriotismo e a forja de conceitos decisivos de nossa realidade, como o humanismo, a unidade nacional e a confiança na vitória, entre outros.

Não se deve mencionar a fundação do Partido Revolucionário Cubano (RPC), criado de propósito para organizar a guerra e garantir a coesão de todos os cubanos em torno dessa ideia.  Foi, sem dúvida, uma contribuição, já que pela primeira vez foi criado um partido para a guerra. A RPC foi formada para promover a guerra em Cuba e fomentar a guerra em Porto Rico.  Não era uma ferramenta para fazer campanha e fazer um homem presidente, mas para alcançar a independência de um país através de um movimento armado.

No entanto, o grande objetivo da guerra necessária não foi cumprido e a plena independência cubana, impossibilitada na época pela interferência oportunista dos Estados Unidos, não foi alcançada. Só seria alcançado em 1959 com o triunfo do movimento guerrilheiro liderado pelo comandante Fidel Castro.

o povo cubano manteve todos e cada um dos ensinamentos e legados dessa guerra como a única maneira de sobreviver à constante e crescente política de hostilidade de cada um dos presidentes que governaram os Estados Unidos.  O império, em sua ânsia de anexar Cuba, não poupou esforços: de um bloqueio econômico ilegal e criminoso mantido há mais de 60 anos a ataques e atos de terrorismo e subversão para destruir o processo político cubano.  Tudo falhou e falhará porque as lições aprendidas de unidade, patriotismo, convicção no triunfo e resistência são o que garantem a existência de uma revolução verdadeiramente autêntica e popular.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS