Brasília, 17 de agosto de 2022 às 08:10
Selecione o Idioma:

Sem Titulo

Postado em 20/04/2016 8:04

Turquia recusa explicar proibição de entrada no país de chefe da redação turca da Sputnik

.

© Sputnik/
Os serviços de segurança turcos e do Aeroporto de Istambul Ataturk recusaram explicar as razões de o chefe da redação turca da Sputnik, Tural Kerimov, ter sido proibido de entrar no país.

Tural Kerimov, que foi privado da sua acreditação e autorização de residência, está agora no aeroporto de Istanbul esperando da deportação.

“A proibição a entrar no país e a deportação são procedimentos estandardizados em todos os países, e nem todos os Serviços da Segurança têm informação sobre estes incidentes”, disse o porta-voz do Serviço da Segurança em Istanbul à RIA Novosti, acrescentando que a pergunta deve ser dirigida ao Serviço da Segurança do Aeroporto de Istambul Ataturk.

Mas as autoridades do Serviço da Segurança do aeroporto recusaram dar quaisquer explicações.

“Está fora de questão nós comentarmos tais incidentes e compartilharmos as informações com alguém”, disse o funcionário do serviço.

O site em língua turca da agência Sputnik foi bloqueado na Turquia, por determinação do Departamento de Telecomunicações daquele país, no dia 14 de abril, sem qualquer explicação ou aviso prévio. A decisão foi aprovada posteriormente pelo Tribunal de Justiça do distrito de Gelbashi, província de Ancara, no sábado (16).

Segundo informou a agência Anadolu, além da Sputnik, também foi fechado o site da agência de notícias Dicle, bem como várias contas no Twitter.
O departamento turco justificou a medida pelo fato de os administradores das referidas contas no Twitter e dos sites da Sputnik e da Dicle não terem removido algumas publicações, que, supostamente, conteriam propaganda do terrorismo, bem como materiais que, segundo a entidade, incitam à violência e ao crime.

Leia mais: http://br.sputniknews.com/mundo/20160420/4232662/turquia-recusa-explicar.html#ixzz46MbZW29S

Comentários: