28.5 C
Brasília
quarta-feira, 6 dezembro, 2023

TSE da Guatemala recebe denuncias por supostas anomalias nas eleições

Cidade da Guatemala, 30 de junho (Prensa Latina) A organização Guatemala Immortal apresentou uma denúncia contra o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e outros atores envolvidos nas eleições por supostas irregularidades nos resultados preliminares.

A denúncia atinge o pessoal do Departamento de Informática encarregado da digitação dos autos, bem como as empresas Datasys SA e PoderNet SA, explicaram à imprensa os advogados Giovanni Fratti e Fischer Pivaral.

Procuramos o Ministério Público para apurar se foram cometidos os crimes de quebra de dever e usurpação de funções, explicou o primeiro, das figuras aqui reconhecidas do grupo cívico.

A acção judicial foi intentada no seguimento das reclamações públicas que foram denunciadas pelos cidadãos no processo eleitoral, concretamente no sistema informático, acrescentou o jurista.

As anomalias fazem com que a legitimidade das eleições seja questionada, apontou Pivaral, que apontou irregularidades na entrega da ata original.

Há alguns dias, o partido político Voluntad, Oportunidad y Solidaridad (VOS) solicitou a revisão de toda a documentação emitida pelas Juntas Receptoras de Votos (JRV).

O secretário dessa força política, Carlos Bezares, criticou o uso de dois sistemas de contagem de votos no departamento da Guatemala e descreveu a situação no país como preocupante.

Os magistrados do TSE enfatizaram durante a reunião que os prazos legais para impugnações se esgotaram e que a figura da recontagem de votos não existe.

Cerca de 24 dos 338 municípios deste país centro-americano registraram até esta sexta-feira incidentes por inconformidade de moradores que denunciam fraudes na eleição de corporações municipais.

O TSE emitiu nota na última terça-feira, na qual instou os filiados e simpatizantes das diversas organizações políticas a aceitarem os resultados das eleições com “maturidade e bravura”.

O corpo eleitoral pediu a deposição das manifestações de protesto, que na maioria dos casos constituem contravenções e crimes eleitorais, bem como alteração da ordem pública, considerou.

Em meio a esse contexto, o TSE deve aprovar em breve (tem até oito dias após as eleições) os resultados, dos quais sairão as mais de quatro mil autoridades para o período 2024-2028

ÚLTIMAS NOTÍCIAS