Brasília, 13 de junho de 2021 às 09:33
Selecione o Idioma:

Internacional

Postado em 31/07/2019 11:12

Seul adverte que novo submarino de Pyongyang poderá carregar até 3 mísseis balísticos

.

© AFP 2019 / KCNA VIA KNS
DEFESA

Ministério da Defesa da Coreia do Sul afirma que o submergível em breve estará pronto para uso.

Um novo submarino norte-coreano, que pode ser o maior da história do país, poderá carregar até 3 mísseis balísticos, anunciou nesta quarta (31) o Ministério da Defesa sul-coreano, informa a agência Yonhap.

O submarino em breve estará pronto para operar, segundo Lee Hye-hoon, chefe do Comitê de Inteligência da Coreia do Sul.

Na semana passada, a agência norte-coreana KCNA noticiou que Kim Jong-un inspecionou um novo submarino de grandes proporções.

O líder teria expressado grande satisfação pelo desenho e construção da embarcação, que foi realizada sob supervisão do próprio Kim.

“O líder supremo conheceu em detalhe as capacidades operacionais e táticas dos sistemas de armas de combate” do submarino, informou a agência estatal.

Kim descreveu o veículo como um “importante componente na defesa nacional” da Coreia do Norte, ao mesmo tempo que enfatizou a necessidade do país continuar fazendo grandes esforços para o desenvolvimento de armas e equipamentos navais.

Kim Jong-un inspeciona novo submarino em local desconhecido em 23 de julho de 2019
© REUTERS / KCNA
Kim Jong-un inspeciona novo submarino em local desconhecido em 23 de julho de 2019

Lançamento de mísseis balísticos

As declarações do Ministério da Defesa sul-coreano foram feitas horas após o Estado-Maior Conjunto do país confirmar que Pyongyang disparou dois mísseis balísticos de curto alcance a partir de Kalma, próximo da cidade portuária de Wonsan, na costa leste do país.

Os projéteis foram lançados às 17h06 e 17h27 desta terça 30 (horário de Brasília) e percorreram 250 km a 30 km de altitude.

“Os lançamentos sucessivos de mísseis pela Coreia do Norte não contribuem para reduzir as tensões na península coreana. Exortamos o Norte a pôr fim a tais atos”, comunicou o Estado-Maior Conjunto sul-coreano.

Sputnik

Comentários: