Brasília, 4 de dezembro de 2021 às 03:31
Selecione o Idioma:

Venezuela

Postado em 02/03/2019 8:05

Quem é a poderosa mulher que acompanha Guaidó em suas viagens na América do Sul?

.

Quando Juan Guaidó deixou a Venezuela em 22 de fevereiro, ele começou sua viagem pelos países sul-americanos que em janeiro apoiaram sua autoproclamação como presidente interino, entre os quais a Colômbia, o Brasil e o Paraguai. Mas o deputado da oposição venezuelana não viaja sozinho.

Juan Guaidó viaja com sua esposa, Fabiana Rosales, que o acompanhou em cada uma das visitas como se fosse uma viagem oficial de mandatário.

Mas há uma mulher mais poderosa no itinerário de Guaidó. Trata-se de Kimberly Breier, subsecretária de Estado dos EUA para Assuntos do Hemisfério Ocidental desde 2018.

Em sua conta no Twitter, Breir tem relatado seu acompanhamento ao opositor venezuelano no Brasil e no Paraguai, como sendo um apoio necessário. Mas quem é essa “mão poderosa” que leva Guaidó pela América do Sul?

Ver imagem no Twitter

Um líder legitimo não condena à fome e não oprime o seu povo. Guaidó está trabalhando para entregar a ajuda humanitária tão necessária para o povo da Venezuela, enquanto Maduro está a bloqueando. Segundo declarou o vice-presidente Mike Pence, “Maduro deve sair” e esta ajuda humanitária “deve entrar”

Hoje no Brasil eu expressei mais uma vez o apoio do secretário de Estado, Mike Pompeo, e dos EUA a Juan Guaidó enquanto ele está levando seu país para a democracia. O povo da Venezuela não merece menos.

Kimberly Breier é graduada em espanhol e entre 1995 e 1997 completou um mestrado na Universidade George Washington, onde Juan Guaidó também fez sua pós-graduação. Essa universidade também é conhecida por sua formação de futuros funcionários da CIA.

Conforme um comunicado da Casa Branca, Breier serviu por mais de uma década como analista da CIA e gerente na indústria de espionagem e foi consultora da Casa Branca em assuntos relacionados ao Brasil e ao Cone Sul.

A diplomata, que fala espanhol e viajou bastante por todo o continente, foi convocada em 2005 pelo presidente George W. Bush para o Escritório de Assuntos Hemisféricos do Conselho de Segurança Nacional.

Durante o governo de Barack Obama, ela liderou a Iniciativa Futuros México-Estados Unidos no Centro de Estudos Estratégicos Internacionais, em Washington DC, e segundo especialistas internacionais “é uma republicana moderada”, escreve Infobae. No entanto, alguns especialistas supõem que o fato que essa mulher acompanha Juan Guaidó nos países da América Latina prova que os EUA estão prestando apoio ao autoproclamado presidente da Venezuela.A crise venezuelana se agravou ainda mais após o presidente da Assembleia Nacional, Juan Guaidó, ter se autoproclamado chefe de Estado interino no dia 23 de janeiro. Os EUA e outros países, incluindo mais de 20 países europeus, reconheceram Guaidó, enquanto a Rússia, China e outros países apoiam Maduro como presidente legítimo da Venezuela.

Sputnik

Comentários: