Brasília, 15 de junho de 2021 às 12:51
Selecione o Idioma:

Internacional

Postado em 23/08/2017 9:47

Não se pode confiar nos EUA: País traem a China no acordo das sanções 

.

 Moon of Alabama
Durante o processo para novas sanções da ONU contra a Coreia do Norte, o governo Trump ameaçou aplicar sanções à China, se não se comprometesse a aumentar a pressão contra a Coreia do Norte. Medidas comerciais contra a China foram contidas enquanto prosseguiam as discussões sobre a Resolução:
Uma oportunidade para atingir a Coreia do Norte com novas sanções da ONU foi atropelada pela decisão do presidente Donald Trump de punir a China por suposta prática comercial injusta.

Na 5ª-feira à tarde, altos assessores do governo adiaram o anúncio [de medidas comerciais contra a China] a pedido de funcionários da ONU e do Departamento de Estado, que estavam nos sensíveis estágios finais de convencer a China a assinar uma Resolução da ONU que imporia novas sanções à Coreia do Norte. Funcionários da ONU e do Departamento de Estado alertaram para o fato de que o anúncio de sanções comerciais poria fim às chances dos EUA de conseguir o apoio de Pequim, segundo informaram os próprios funcionários.

O próprio Trump sugerira fortemente que estava disposto a fazer uma troca ‘elas por elas’:
Embora presidentes anteriores sempre tenham tentado o mais possível, pelo menos ostensivamente, a manter separadas as questões de segurança e as questões de comércio, nas negociações com a China, o presidente Trump associou explicitamente as duas áreas, sugerindo que poderia desistir de uma guerra comercial contra Pequim, se os chineses aumentassem a pressão contra a Coreia do Norte. “Se a China nos ajudar, as coisas mudarão muito na questão comercia, muito, muito mesmo” – disse Trump aos repórteres.
Houve o acordo, e a Resolução n. 2.371 da ONU foi aprovada por todos. A China imediatamente implementou as medidas relevantes:
Num movimento sem precedentes contra a Coreia do Norte, a China, na 2ª-feira emitiu ordem para que se aplicassem as sanções que a ONU impusera ao regime da Coreia do Norte, no início do mês.
A China portanto cumpriu sua parte no acordo. Ajudou a aprovar a Resolução da ONU contra a Coreia do Norte e a implementou imediatamente, ainda que o gesto cause perda significativa a empresas chinesas que negociam com a Coreia do Norte.

E agora lá vem Trump outra vez, e sanciona empresas chinesas (e russas):

Na 3ª-feira o governo Trump impôs sanções a 16 empresas principalmente chinesas e russas, por ajudarem os programas nuclear e de mísseis balísticos da Coreia do Norte e ajudarem o país a fazer dinheiro para apoiar aqueles programas.

Dentre as empresas sancionadas estão seis empresas chinesas, inclusive três empresas de carvão; duas empresas com base em Cingapura que vendem petróleo para a Coreia do Norte; e três empresas russas que trabalham com elas; uma empresa russa que negocia metais com a Coreia do Norte e o diretor russo dessa empresa; uma construtora com sede na Namíbia; uma segunda empresa com sede também na Namíbia e seu diretor norte-coreano que fornece trabalhadores norte-coreanos que constroem estátuas no estrangeiro, para gerar renda para a Coreia do Norte.

São “sanções secundárias” que bloqueiam transações financeiras e tornam quase impossível para aquelas empresas e funcionários dirigem um negócio internacional. Além disso – a China já cortou todas as importações de carvão da Coreia do Norte. Enviou de volta os navios de carvão da Coreia do Norte e, em vez disso, comprou carvão dos EUA.

E agora as empresas chinesas são sancionadas por causa do carvão norte-coreano que já nem compram?? Além do mais, vender óleo combustível à Coreia do Norte é explicitamente autorizado nos termos das novas sanções impostas pelos EUA. Não há motivo plausível para sancionar qualquer empresa sob essa acusação improcedente.

Os chineses sentiram-se traídos:


Reuters World
 @ReutersWorld – 7:12pm · 22 Aug 2017

NOTÍCIA DE ÚLTIMA HORA: China EXIGE que EUA corrijam imediatamente o erro de ter sancionado empresas chinesas por contra de questões com a Coreia do Norte – disse o porta-voz da embaixada.

Se o governo Trump insistir em manter essas sanções, obviamente China e Rússia deixarão de se manter muito rígidas no controle das sanções impostas à Coreia do Norte. Por que teriam de manter o seu lado do acordo, a grandes penas, quando os EUA absolutamente não está mantendo o lado deles do mesmo acordo?

Também logo pararão de tentar quaisquer acordos com os EUA. O governo Trump já mostrou que mente e trai tão rapidamente quanto o governo Obama. E os EUA que esqueçam para sempre QUALQUER OUTRO VOTO CHINÊS para futuras ações ou sanções que interessem aos norte-americanos na ONU.

Difícil imaginar modo mais estúpido e caolho para encaminhar questões de relações internacionais.

Como podem os EUA sonhar com qualquer vitória no longo prazo, se não conseguem não trair tão completamente, a cada passo que dão?*****

Comentários: