19.2 C
Brasília
segunda-feira, 22 julho, 2024

Morre Muhammad Ali: 74 anos de talento e indignação

“Não sei quem foi o maior de todos, mas, certamente, Ali foi o melhor cidadão que já lutou boxe peso-pesado”. As palavras são do pugilista George Foreman, declaradas no documentário  Champions Forever (1989), e mostram o respeito que o posicionamento político de Ali contra o racismo nos Estados Unidos provocava nas pessoas.  O boxeador lutava há 32 anos contra o mal de Parkinson e morreu nesta sexta-feira (3), no Arizona (EUA)
 
Além de revolucionar o boxe peso-pesado, o atleta, que convivia com os líderes negros Martin Luther King e Malcon-X, enfrentou a segregação racial americana em um dos momentos mais agudos.

Em 1967, também alegando motivos religiosos, ele se recusou a legitimar a guerra do Vietnã: “Vietcong nenhum me chama de “nigger” (termo pejorativo comumente usado pelos racistas americanos).
O jornalista e escritor Celso Lungaretti lembrou em artigo publicado em 2012 noPortal Vermelho que “os militares lhe asseguraram que apenas serviria como relações-públicas do esforço guerreiro, seguindo as pegadas do ator Bob Hope”.
“Ali preferiu ficar sem o título, sem os muitos milhões de dólares que teria ganhado, sem o direito de exercer sua profissão –em razão da inacreditável pena de suspensão por tempo indeterminado que recebeu da máfia do pugilismo”, contou Celso. Para sobreviver o atleta passou a dar palestras nas universidades.

A recusa resultou no banimento de Ali do boxe por três anos. Além disso, foi sentenciado a cinco anos de prisão e ao pagamento de multa de US$ 10 mil.  Aguardando o processo em liberdade, Ali voltou aos ringues em 1970, quando nocauteou o adversário Jerry Quarry. Em 1971, a Suprema Corte dos Estados Unidos retirou as acusações de insubmissão, encerrando o imbróglio judicial.
Biografia
O nome de nascimento de Ali é Cassius Marcellus Clay Jr, nascido em Louisville, no estado de Kentucky, em 17 de janeiro de 1942. A mudança de nome ocorreu quando ele se converteu ao islamismo.
Ágil, enquanto os atletas do peso-pesado eram grandalhões e lentos, Ali mudou a história da categoria. Foi campeão olímpico em 1960, nos Jogos de Roma. Conquistou o título dos pesos pesados em 64, após vencer Sonny Liston.
Em 1971 No ano seguinte, travou com Joe Frazier a “Luta do Século”, a qual perdeu após 15 rounds, na sua primeira derrota como profissional. Em 1974, Ali teve a revanche contra Frazier, em Nova York, vencendo por decisão dos árbitros.
Em 30 de outubro do mesmo ano, aconteceu a famosa luta contra George Foreman, no Zaire, quando Ali recuperou o cinturão dos pesos pesados nocauteando o adversário no oitavo round.
A medalha de ouro atirada no rioCampeão olímpico, Muhammad atirou a medalha de ouro no rio Ohio. O motivo foi a recusa em lhe servirem em um restaurante por ser negro.
Em 1996, durante homenageado na cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos de Atlanta, ele recebeu uma réplica da medalha que ganhou em 1960.
“O Desportista do Século”, eleito em 1999 pela revista americana Sports Illustrated, acumulou nos 21 anos de carreira profissional 56 vitórias, sendo 37 por nocaute, e apenas cinco derrotas.
Do Portal Vermelho, com informações de agências

ÚLTIMAS NOTÍCIAS