Brasília, 22 de outubro de 2021 às 21:30
Selecione o Idioma:

Cultura

Postado em 22/11/2019 4:36

Mais de 600 obras serão apresentadas no festival de cinema latino-americano

.

Por: Laura Mercedes Giraldez | [email protected]

Photo: Internet

De 5 a 15, o Festival Internacional de Novo Cinema Latino-Americano tomará os cinemas localizados no circuito da Avenida 23, em homenagem ao centenário do nascimento do renomado cineasta cubano Santiago Álvarez e aos 60 anos do Icaic

Havanajá enche os pulmões com o ar do festival de cinema que o público mais espera nesta capital: o Festival Internacional de Novo Cinema Latino-Americano, que do dia 5 ao 15 tomará os cinemas localizados no circuito da Avenida 23, em homenagem ao centenário do nascimento do renomado cineasta cubano Santiago Álvarez e aos 60 anos do Icaic.

Nesta 41ª edição, serão exibidos 300 filmes de 37 países, com forte presença da América Latina, com 210 obras, onde Argentina e Brasil se destacam como os países mais representados na região. 21 filmes de ficção, 19 curtas e média-metragens, 18 obras-primas, 21 documentários longas-metragens e dez curtas e média-metragens, 23 filmes de animação, 25 roteiros inéditos e 30 pôsteres competem nessa oportunidade, disse Iván Giroud, diretor-geral do Festival.

A exibição de filmes nesta ocasião equivale a 660 entre trabalhos em competição, apresentações especiais, clássicos restaurados, cinema e televisão, gala, entre outros. A inauguração será às 18h00 da quinta-feira, 5, no Teatro Karl Marx, com a exibição do longa-metragem de ficção argentino La odisea de los giles, do diretor Sebastián Borensztein. Da mesma forma, o Ballet Nacional de Cuba será apresentado pela primeira vez em uma edição deste festival, em homenagem à prima ballerina assoluta Alicia Alonso.

Comentários: