14.5 C
Brasília
quinta-feira, 18 julho, 2024

Maduro: Venezuela avança, apesar de 930 sanções ocidentais

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, durante reunião com membros do Conselho Nacional de Economia Produtiva, 12 de junho de 2024.

HispanTV- O presidente Nicolás Maduro destaca o crescimento da economia da Venezuela, em meio a 930 sanções impostas pelos Estados Unidos, sobretudo.

“A Venezuela cresceu 7% no primeiro trimestre, estamos fazendo um milagre admirável com maior estabilidade e crescimento com mais de 900 sanções”, disse o presidente venezuelano durante reunião com membros do Conselho Nacional de Economia Produtiva no estado de Apure.

Acrescentou que a projecção para este ano de crescimento económico é de 8 por cento, mas “tudo indica que vamos ultrapassá-la apesar da guerra económica”, disse.

Maduro destacou que para fazer avançar o país apelou a um amplo diálogo com os diferentes sectores económicos da Venezuela. “Agora passamos para uma fase superior, a reconstrução total do Estado de Bem-Estar Social sem depender de ninguém”, acrescentou.

Assegurou que a economia continua a crescer com a recuperação da produção de bens e serviços. “Temos o maior crescimento do PIB neste momento na América Latina e no Caribe”, disse ele.  

O chefe de Estado referiu-se a uma série de dados que sustentam o bem-estar económico do país bolivariano. Neste sentido, destacou que a arrecadação de impostos nos primeiros meses de 2024 atingiu 4,32 mil milhões de dólares, crescendo  93% de Janeiro a Maio de 2024.

Relativamente aos sectores económicos, indicou que a Venezuela já produz perto de um milhão de barris de petróleo por dia extraído com tecnologia própria, aos quais se somam 15 trimestres de crescimento sustentado na produção agrícola, sector que regista um crescimento de 5,8 por cento no corrente ano. .

Ele informou que a inflação do país durante o mês de maio foi a mais baixa dos últimos 20 anos, de 1,5%. 

Da mesma forma, observou que atualmente “tem  as rédeas da economia nas mãos” e que pela “primeira vez, em 100 anos, conseguimos combinar as regras da economia”.

“Passámos tempos de dura resistência às sanções imperialistas, mas soubemos, com unidade, avançar e posso dizer ao povo de Apure: levantei-me em todas as circunstâncias, estive ao seu lado em todas as lutas; Os piores momentos ficaram para trás e agora vamos para tempos melhores, de recuperação, de crescimento”, afirmou.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS