Brasília, 22 de janeiro de 2022 às 03:56
Selecione o Idioma:

Brasil

Postado em 15/10/2016 2:53

Lula divulga vídeo de palestra que MP diz que não existiu

.

Reprodução
“Segundo o Ministério Público Federal, essa palestra que aconteceu em 7 de maio de 2014, em Luanda, Angola, não existe”, diz o post, acompanhado de um vídeo de dez minutos com trecho da palestra e o áudio da íntegra da fala de Lula.

Segundo a acusação do Ministério Público Federal, Lula teria favorecido a Odebrecht com empréstimos no BNDES em troca da contratação da empresa do sobrinho de Lula no primeiro casamento, a Exergia, em Angola, e de palestras suas no país africano.

Segundo a defesa do ex-presidente, a acusação é “absurda” por uma série de motivos. Confira abaixo a íntegra do esclarecimento dos advogados sobre o assunto:

A acusação: Lula teria trocado empréstimos do BNDES pela contratação da empresa de sobrinho em Angola e palestras no país

https://youtu.be/XvsQhbxa554

Porque é absurda: As decisões do BNDES são colegiadas, tomadas por funcionários do banco, e Lula não participava delas quando era presidente tampouco após deixar a presidência, em 2011. As decisões do BNDES são devidamente assinadas pelos responsáveis pelos empréstimos do banco, que não estão na denúncia. São mais de 40 pessoas que analisam e participam do processo de aprovação de cada empréstimo. Lula fez palestras, todas devidamente registradas e comprovadas, como vários outros ex-presidentes. Atos perfeitamente legais para um cidadão privado, que agora os procuradores querem rever, sem provas, munidos apenas de preconceito e insinuações. Além disso, se Lula não é funcionário público desde 2011 não pode lhe ser imputado o crime de corrupção ou tráfico de influência. As relações entre Odebrecht e Exergia (da qual o filho do ex-cunhado de Lula é sócio) são relações entre duas empresas privadas. Lula não recebeu qualquer valor da Exergia, o que é provado pela quebra de sigilo bancário e fiscal do ex-presidente, que não mostra um centavo vindo da empresa.
Fonte: Brasil 247

 

Comentários: