Brasília, 20 de janeiro de 2022 às 16:19
Selecione o Idioma:

Colômbia

Postado em 30/11/2021 4:03

Justiça apresenta mecanismo na Colômbia para evitar tragédia do conflito

.

Bogotá (Prensa Latina) A justiça transicional na Colômbia apresentou nesta terça (30) o Mecanismo Unificado de Monitoramento de Riscos do Sistema Integral pela Paz para evitar a tragédia vivida na Colômbia durante o conflito armado.

Além disso, para garantir a oportunidade de fazer justiça, descobrir o que aconteceu e encontrar os desaparecidos.

A apresentação do Mecanismo estará a cargo da Jurisdição Especial para a Paz (JEP), da Comissão da Verdade e da Unidade de Busca de Pessoas Dadas como Desaparecidas.

Segundo estas entidades, através desta ferramenta a sociedade e as autoridades serão alertadas para a possível ocorrência de violações dos direitos à vida, integridade física, liberdade e segurança dos sujeitos individuais e coletivos que participam nos diferentes processos desenvolvidos.

Desde a assinatura do Acordo de Paz, 326 ex-combatentes das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia – Exército do Povo (FARC-EP) e 1026 lideranças sociais, dos quais 26 por cento pertenciam a organizações que participam do Sistema Integral pela Paz, foram assassinados.

As taxas de homicídio contra aqueles que implementam o Acordo aumentaram e permanecem altas à medida que grupos violentos novos e remanescentes lutam pelo controle territorial, monopólio de mercados ilícitos e impunidade, observou o JEP.

Garantir a vida dos ex-combatentes das FARC-EP, bem como das vítimas do conflito e das lideranças sociais que a partir do seu território estão a construir um país melhor, está no DNA do Acordo Final, sublinhou o JEP.

O lançamento acontecerá em San Jacinto (Bolívar) e contará com a participação de lideranças sociais da região de Montes de María, o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), Missão de Verificação da ONU, Pastoral Social, o Instituto Kroc, entre outros.

Comentários: