23.5 C
Brasília
quarta-feira, 24 julho, 2024

Guterres: Ataques israelenses matam 59 funcionários da ONU em Gaza

Pessoas procuram sobreviventes e corpos de vítimas entre os escombros de edifícios destruídos durante um bombardeio israelense em Gaza, em outubro de 2023. (Foto: AFP)

HispanTV – O Secretário-Geral das Nações Unidas, António Guterres, lamentou o assassinato de 59 trabalhadores da ONU nos bombardeamentos israelitas em Gaza.

“Com toda a minha família da ONU, lamento a perda de tantos colegas da ONU. No meio de sofrimento e dor inimagináveis, os colegas em Gaza continuam a servir os necessitados, apesar do grave risco para as suas próprias vidas. Vocês têm minha gratidão, solidariedade e total apoio”, expressou o chefe da ONU no domingo, em sua conta X.

A Agência das Nações Unidas para os Refugiados Palestinianos prestou homenagem no domingo aos seus 59 trabalhadores mortos nas ofensivas indiscriminadas israelitas no enclave costeiro palestiniano, que continuam pela quarta semana consecutiva. Ele alertou ainda sobre o “imenso sofrimento humano que continua a ocorrer todos os dias” devido à incursão contínua e ao bloqueio total imposto por Israel na Faixa.

ONU alerta Israel: Direito Internacional proíbe “cerco total” a Gaza

Cada dia é mais escuro que o anterior em Gaza

O Comissário Geral da ONU, Philippe Lazzarini, afirmou que “cada dia se torna mais escuro que o anterior à medida que aumenta o número de camaradas assassinados” e denunciou mais uma vez “o sofrimento indescritível que emerge de Gaza hora após hora”.

ONU alerta sobre “avalanche de sofrimento sem precedentes” em Gaza |  HispanTV

ONU alerta sobre “avalanche de sofrimento sem precedentes” em Gaza |  HispanTV

A ONU alertou que os palestinos sofrerão “uma avalanche de sofrimento sem precedentes” devido à agressão de Israel.

A ONU anunciou a invasão de milhares de pessoas aos seus armazéns e centros de distribuição no centro e sul da Faixa de Gaza para obter farinha e artigos básicos de sobrevivência. Ele alertou que tal situação emana da grave situação humanitária no enclave e leva ao colapso da “ordem cívica”.

As agências da ONU exigiram uma pausa humanitária urgente em Gaza para levar suprimentos básicos ao enclave costeiro, onde mais de 2 mil milhões de pessoas vivem uma verdadeira catástrofe humanitária devido ao conflito e ao bloqueio sufocante.

“Precisamos de uma pausa humanitária para que possamos chegar às pessoas necessitadas com alimentos, água e artigos essenciais de forma segura e eficaz. É urgentemente necessário muito mais acesso e o fluxo de abastecimento deve tornar-se um fluxo”, disse o diretor do Programa Alimentar Nacional das Nações Unidas para a Palestina, Samer Abdeljaber.

Os ataques israelitas a Gaza, que começaram em 7 de outubro, já custaram até agora mais de 8.100 vidas, a maioria delas mulheres e crianças. A ONU denunciou a intensificação dos bombardeamentos contra áreas residenciais e acusa Israel de cometer “violações claras do direito humanitário internacional” na Faixa.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS