Brasília, 17 de maio de 2022 às 06:16
Selecione o Idioma:

Guiana

Postado em 28/03/2021 1:02

Guiana anuncia data de chegada de 200 mil doses da vacina Sputnik V

.

AMÉRICAS

Sputnik – A Guiana espera receber as primeiras 200 mil doses da vacina russa Sputnik V já na próxima semana, disse o presidente do país, Mohamed Irfaan Ali.

O governo guianês anunciou a data de recebimento do lote da vacina russa através de um comunicado neste sábado (27).

“O governo receberá 24.000 doses da vacina AstraZeneca por meio da iniciativa COVAX da OMS [Organização Mundial da Saúde] na segunda-feira [29], e 200.000 doses da vacina Sputnik V da Rússia na terça-feira [30]. O governo também está trabalhando para garantir outras 200.000 doses da Sputnik V da Rússia”, disse o governo local no comunicado, na sexta-feira (26), citando o presidente guianês.

Um frasco com a etiqueta da Sputnik V colocado sobre o logotipo da vacina russa em foto de 24 de março de 2021
© REUTERS / DADO RUVIC
Um frasco com a etiqueta da Sputnik V colocado sobre o logotipo da vacina russa em foto de 24 de março de 2021

Mohamed Irfaan Ali acrescentou ainda que a vacinação da população adulta terá início no país já na quarta-feira (31).

“No momento, estamos finalizando a logística para trazer essas 200.000 [doses]. Estabelecemos uma cadeia de suprimentos. Estabelecemos a instalação de armazenamento. Tivemos reuniões com o setor privado, porque temos que reunir toda a capacidade de armazenamento para fazer isso”, disse Ali.

A Guiana foi o 33º país a aprovar a Sputnik V para uso emergencial. Atualmente, a vacina russa foi aprovada em mais de 55 países, tornando-se a segunda maior vacina do mundo em termos de aprovações. O imunizante russo, o primeiro a ser aprovado no mundo, também já passou pelo crivo de diversos órgãos sanitários da América Latina, como no Paraguai, na Argentina, na Venezuela, no México e na Bolívia.

De acordo com os resultados de estudos clínicos do imunizante publicados pela revista médica Lancet, em fevereiro deste ano, a vacina tem eficácia de 91,6%.

Comentários: