Brasília, 27 de junho de 2022 às 12:28
Selecione o Idioma:

Venezuela

Postado em 23/03/2022 5:44

Guaidó pressiona EUA a adiar decisão de importar petróleo venezuelano

.

© REUTERS / Manaure Quintero

Sputnikk – Deixada de lado nas negociações entre os Estados Unidos e a Venezuela, a oposição liderada por Juan Guaidó é contra o fim das sanções sobre o petróleo venezuelano neste momento.
A oposição venezuelana está pressionando Washington a repensar sua possível política de flexibilização das sanções ao petróleo do país. Juan Guaidó pediu aos EUA para que condicionem as negociações a concessões políticas dentro do governo de Nicolás Maduro.
Segundo informações da Reuters, o pedido dos antagonistas de Maduro é mais um problema para os esforços das empresas petrolíferas do país em obter aprovações dos EUA para exportar, apesar das dívidas não pagas.
Se aceita, a proposta da oposição interromperá qualquer chance para que os EUA importem petróleo venezuelano.
Um petroleiro é visto no terminal de carga da refinaria Jose na Venezuela nesta (foto de arquivo) - Sputnik Brasil, 1920, 11.03.2022

Panorama internacional

Venezuela pode fornecer petróleo para Ocidente em meados de 2022 se sanções acabarem, diz legislador

Exposta em reuniões recentes entre funcionários do Departamento de Estado dos EUA e enviados de Juan Guaidó, a posição enfraquece as intenções do presidente Joe Biden em buscar uma nova alternativa para o comércio de petróleo mundial.
No último dia 9, o secretário de Estado norte-ameriano, Antony Blinken, disse que Washington tem “um conjunto de interesses” em relação a Caracas, incluindo o “suprimento constante de energia”.
Os EUA reconhecem Guaidó como o líder legítimo da Venezuela, e evitam tratar de assuntos diplomáticos com Maduro após chamar sua reeleição de 2018 de “farsa”. As sanções petrolíferas impostas em 2019 tinham o objetivo de derrubar o governo venezuelano.
Autoridades dos EUA garantiram que à oposição que, até agora, nenhuma decisão foi tomada sobre o alívio das sanções, de acordo com duas pessoas familiarizadas com o assunto.

Comentários: