Brasília, 20 de maio de 2022 às 09:30
Selecione o Idioma:

Colômbia

Postado em 18/01/2020 10:14

Greve nacional e encontro de organizações sociais na Colômbia

.

Bogotá, (Prensa Latina) O Comitê Stop na Colômbia convocou hoje o II Encontro Nacional de Organizações Sociais, que ocorrerá em tempos de violência persistente no país.
Este evento acontecerá nos dias 30 e 31 de janeiro, no âmbito da greve nacional de massas iniciada em 21 de novembro e dos últimos eventos políticos que agravaram a situação econômica, social, de direitos humanos, ambiental, territorial e da vida e a paz de todos os colombianos, disse ele.

O evento se tornará um espaço para discussão da análise da situação atual, equilíbrio das mobilizações de 2019, plano de ação, dinâmica e mecanismos para a inclusão de novos setores e uma agenda para fortalecer o Comitê Nacional de Parada e os Comitês Departamentais de Greve.

Nesse contexto, em 21 de janeiro, um panelaço nacional é planejado contra as políticas defendidas pelo governo, e pela vida e pela paz.

Decidimos participar com um panelaço em todas as praças centrais dos municípios, disse Nelson Alarcón, presidente da Federação Colombiana de Trabalhadores da Educação, uma das organizações que compõem o Comitê.

Em dezembro do ano passado, o Comitê disse que a luta e a mobilização em massa e pacífica se aprofundarão em 2020.

A inquietação social generalizada que se manifesta no contexto da greve nacional desde 21 de novembro é extraordinária, afirmou ele em comunicado.

O Comitê enfatizou que ‘milhões de pessoas de todos os setores sociais, de diferentes maneiras, formas e expressões, levantaram sua voz de protesto e se mobilizaram (…) contra as políticas do Presidente Iván Duque e das partes que o apoiam, que não quiseram participar ou resolver as reclamações que roncam em todos os cantos do país ‘.

Pelo contrário, disse ele, ‘o movimento social foi reprimido e perseguido por todas as forças do Estado, com sinais evidentes de violações dos direitos humanos, centenas de feridos e detidos, incluindo assassinatos pela ação criminosa do chamado Esquadrão de Motins Móveis’ .

A Colômbia acordou, exige explicações e soluções para os problemas que sobrecarregam a vida cotidiana e nos levam a piores condições de vida e trabalho, mergulhando-nos na pobreza e ignorando os direitos mais elementares, enfatizou.

Comentários: