Brasília, 22 de outubro de 2021 às 06:49
Selecione o Idioma:

Brasil

Postado em 06/08/2016 4:42

Grande mancada jornalística que vale o trofeu barriga

.

Mário Augusto Jakobskind

A festa de abertura dos Jogos Olímpicos no Maracanã teve seus méritos, não resta dúvida, sobretudo ao se apresentar o ritmo musical brasileiro. Mas quem acompanhou o evento pela cobertura televisiva pôde observar algumas mancadas que depõem contra o jornalismo.
Neste caso, vale a instituição do troféu barriga, que destaca a maior mancada acontecida, que desta vez ficou por conta da TV Bandeirantes.
A jornalista Ana Paula Padrão ( foto) comentou várias vezes que ‘o governo ditatorial da Coréia do Norte tinha proibido os integrantes de sua delegação a deixarem os quartos onde estavam na Vila Olímpica e proibidos de participarem da festa’. Ela destacou que isso era um exemplo típico de um ‘governo comunista, que se utilizava de seus atletas para fazer propaganda diante do povo quando retornarem ao país de origem’.
Toda essa baboseira teve ainda maior relevância depois da apresentação da delegação da Coréia do Sul. No furor anticomunista clássico ao estilo Guerra Fria, Ana Paula Padrão ignorou solenemente o fato de a Coréia do Norte ser denominada República Popular Democrática da Coréia e apresentada na festa dessa forma.
Pior ainda ocorreu quando a República Popular Democrática começou a desfilar. Aí Padrão conseguiu se superar. Ignorando o que tinha repetido pelo menos três vezes ela teve a coragem de apenas afirmar ’finalmente a Coréia do Norte se apresenta’.
A mesma Ana Paula Padrão tentou ainda minimizar a vaia sofrida, e já esperada, pelo golpista que usurpa a Presidência da República, Michel Temer, e afirmou taxativamente que a ‘vaia foi muito curta’.
Temer estava realmente fora de circuito na cerimônia, acompanhado de alguns golpistas que compõem o seu ministério, entre eles, nada mais nada menos que José Serra, ocupante do Ministério do Exterior, onde já está provocando muitos estragos em sua subserviência aos interesses do capital internacional, particularmente estadunidense.
Outro fato jornalístico que merece destaque e deu bem a ideia como anda a popularidade do golpista Michel Temer. Um repórter da TV Globo falava do lado de fora do Maracanã quando foi surpreendido por um dos espectadores que saía da festa e colocou bem visível o cartaz com os dizeres ‘Fora Temer’. O flash acabou logo, para voltar pouco depois quando eram apresentados juntos brasileiros e argentinos e um coro gritava ‘Fora Temer’. O flash acabou logo e desta vez a TV Globo preferiu não arriscar mais externas da saída do Maracanã.
Em suma, por mais que quisesse esconder o clima antigolpista, a Rede Globo não conseguiu evitar as demonstrações de repúdio ao golpe parlamentar em andamento mesmo durante os Jogos Olímpicos.
No mais, vale uma observação. Não deu para entender o motivo pelo qual os responsáveis pelo espetáculo de abertura omitiram os italianos na formação do Brasil, já que a imigração desse povo teve grande influência por aqui.

Comentários: